PUB

Sociedade

Governo quer reduzir desnutrição crónica que atinge 10% de crianças menores de 5 anos

O Governo quer fazer face à tripla expressão de insegurança alimentar nomeadamente a desnutrição crónica que atinge aproximadamente 10% das crianças menores de 5 anos e a pré-obesidade infantil que que atinge os 10,3% de crianças.

Esta meta foi reafirmada hoje pelo Governo, através de uma nota do Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA), neste dia em que se celebra o dia Mundial da Alimentação.

Segundo o Governo a fome em Cabo Verde fazem parte do passado e as situações de insegurança alimentar e nutricional têm tido uma trajectória de redução constante e considerável.

Ainda assim, ajuntou, há muitos desafios para enfrentar neste domínio. Para além da desnutrição crónica, conforme a nota, a situação da pré-obesidade infantil é agravada ainda pelo facto de que 52% das crianças menores de 5 anos em Cabo Verde padecerem de anemia.

No entanto, o documento ressalva que o Governo e os seus parceiros “estão bastante empenhados na efectiva implementação da lei do Direito Humano a Alimentação Adequada recentemente aprovada, na diminuição do consumo abusivo do álcool, no reforço das acções sobre a educação alimentar e nutricional e na densificação da rede nacional de Segurança Alimentar e Nutricional”.

O Executivo promete ainda produzir e disponibilizar de forma atempada dados e informações estatísticas “fiáveis neste domínio”. Para o Governo estes constituem uma obrigatoriedade para cumprir com os Objectivo do Desenvolvimento Sustentável (ODS) e implementar “com sucesso” o Plano Estratégico de Desenvolvimento Sustentável.

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), que assinala este dia com o lema “Um mundo sem fome até 2030”, lembra que, pelo terceiro ano seguido, os números da fome no mundo aumentaram e que se está a retornar aos níveis de uma década atrás. Isto porque o seu último relatório indica que quase 820 milhões de pessoas sofreram fome em 2017.

“Os conflitos, os eventos extremos ligados à mudança do clima e a desaceleração econômica são os factores que estão revertendo os progressos alcançados na luta contra a fome”, destaca o director-geral da FAO, Graziano da Silva, em nota, sublinhando ainda que “os níveis de sobrepeso e obesidade também aumentam rapidamente” e por isso é o momento de também redobrar os esforços para alcançar o Objectivo Fome Zero.

Segundo a FAO, o Dia Mundial da Alimentação deste ano clama à comunidade internacional que “trabalhe de maneira mais coordenada” e que utilize todas as evidências e ferramentas disponíveis.

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura lembra que há três anos, os países membros da ONU se comprometeram com o fim da pobreza e da fome, quando assinaram os Objectivos de Desenvolvimento Sustentável.

“Isso é ainda possível se unirmos as forças de governos, organizações, instituições e cidadãos comuns nesses anos restantes para 2030”, destaca ainda o responsável da FAO afirmando que as acções de hoje vão determinar o será futuro.

Inforpress

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top