PUB

Sociedade

PLOCAN avança com tecnologias de vanguarda para estudo dos cetáceos na Macaronésia

A Plataforma Oceânica das Canárias (PLOCAN) tem em operação no sul da ilha Gran Canária, um veículo autónomo marinho (Wave Glider) com um conjunto de sensores meteorológicos e oceanográficos para capturar traços acústicos, a fim de estudar os cetáceos (mamíferos marinhos) na Macaronésia.

A iniciativa surge no âmbito do projecto MARCET, que visa avaliar a viabilidade, tanto tecnocientífica, como socioeconómica da incorporação e utilização rotineira das novas tecnologias autónomas de observação marinha, especificamente aquelas destinadas à monitorização dos cetáceos.

Segundo uma nota da PLOCAN, o projecto Marcet  foi financiado pelo primeiro concurso do programa de cooperação INTERREG VA (Espanha-Portugal) e MAC(Madeira-Açores-Canárias), de 2014 a 2020, incluindo o desenvolvimento económico de Cabo Verde e Senegal, através da transferência de conhecimentos e tecnologias para o estudo dos mamíferos marinhos nos seus habitat.

O ensaio operacional está sendo coordenado por PLOCAN, em colaboração com a Universidade de Las Palmas de Gran Canária, através do Instituto de Saúde Animal, e as empresas locais.

O dispositivo de Wave Glider (Planador de ondas) é composto por um conjunto de sensores meteorológicos e oceanográficos, contendo sistemas de hidrofones passivos que conseguem capturar sinais acústicos dos mamíferos marinhos.

Fazem parte da Rede Macaronésia de Transferência de Conhecimento e Tecnologias Inter-regional e Multidisciplinar para proteger e monitorizar os mamíferos marinhos, públicos e entidades privadas dos Açores, Madeira, Senegal, Cabo Verde e das Ilhas Canárias.

Participam nesta rede macaronésica de pesquisa, a Universidade de La Laguna, PLOCAN, o Centro de Tecnologia de Ciências Marinhas (CETECIMA), Gran Canaria Blue e Loro Parque, nas Canárias; o Museu das Baleias e o Observatório Oceânico, na Ilha da Madeira; a Direcção Regional dos Assuntos do Mar, nos Açores; a Sociedade Regional de Conservação e a Escola Interestatal de Medicina e Ciências, no Senegal; a Associação de Biólogos e a Associação de Conservação Ambiental e Desenvolvimento Sustentável (Bios CV),  de Cabo Verde.

 

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top