PUB

Economia

Inaugurada nova linha de produção da Tecnicil: empresa perspectiva gerar ainda mais emprego

Foi inaugurada oficialmente no fim da tarde de ontem, na zona da Trindade, Praia, a nova linha de produção da Tecnicil Indústria, que se destina à produção de sumos, leite e iogurtes, num investimento que ronda 1 milhão e 100 mil contos.
A cerimónia, presidida pelo primeiro ministro Ulisses Correia e Silva, contou com a presença de vários empresários da capital, figuras da sociedade cabo-verdiana e membros do sector público e privado.
A nova linha de produção dos três produtos, que já está a operar desde meados de Janeiro, recebeu ainda a bênção do Cardeal Dom Arlindo Furtado que desejou longevidade e sucessos ao investimento.
Investimento esse que o Primeiro-ministro Ulisses Correia e Silva fez questão de enaltecer, realçando que se trata de uma “aposta forte na industria”, e na “melhoria de condições para que Cabo Verde possa crescer mais”.
“Cada investimento deste tipo e com montantes elevados, com mais de 10 milhões de euros, representa criação de riqueza, emprego, aumento do rendimento bruto global da economia do país e, por isso, nós incentivamos, estimulamos. Este é o caminho que o país deve percorrer particularmente no sector industrial onde ainda temos um longo caminho a percorrer”, disse.
“Nada a temer”
Quanto à polémica devido ao alegado favorecimento e proteccionismo à Tecnicil, com a criação da nova lei das taxas alfandegárias à importação dos produtos lácteos e sumos, Ulisses Correia e Silva reitera que a lei “não é protecionista”, e que a sua presença no evento é um sinal de que o Governo “não tem nada a temer”.
“Fizemos um aumento das taxas até ao plafon que é aceite nas regras da OMC. Queremos que a industria floresça e para a industria nacional florescer, o Governo não pode ser um elemento neutro ou passivo, por isso é que colocamos o nosso empenho apesar dos barulhos que estão aí à volta”, argumentou.
Também Alfredo Carvalho, PCA da Tecnicil Industria lamentou todo o ruído criado em torno de um investimento que só vai gerar “mais emprego, mais rendimento” e que é “um contributo para o crescimento da economia cabo-verdiana”.
“Infelizmente, nós (a Tecnicil) estamos a pagar, até certo ponto, por uma guerra política e somos obrigados a concluir que existe uma força a lutar para que este investimento não tenha sucesso. E, isso, é infeliz. Qualquer cabo-verdiano, em princípio, deve fazer tudo para que a economia cabo-verdiana cresça ou, pelo menos, apoiar iniciativas que contribuam para o seu crescimento”.
“A superar expectativas”
Polémicas à parte, Alfredo carvalho garante que a aceitação dos produtos está a superar as expectativas.
“Estamos a ter um sucesso que nós não esperávamos, com os iogurtes, sumos e o leite. Lançamos iogurtes há uma semana e a previsão que tínhamos de promoção e de venda, estamos a ultrapassá-la, pelo menos, umas quatro vezes. Sumos de fruta igual. Estamos a crescer de uma forma sustentada no mercado de leite. Estamos a crescer e vamos empregar mais pessoas”, garantiu.
Actualmente o leite já está a ser comercializado em quase todas as grandes cadeias hoteleiras do Sal e Boa Vista, além vários outros noteis no país, mas a penetração no mercado pode ser ainda melhor. “No leite estamos a crescer, não no ritmo que gostaríamos, mas num ritmo que neste momento achamos bom.”
A Tecnicil emprega directamente 200 pessoas e só este novo projecto industrial gerou  85 novos postos de trabalho.
GC

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top