PUB

Desporto

Tribunal de Valência arquiva uma das queixas contra Rúben Semedo

Um tribunal de Valência anunciou esta terça-feira (27) o arquivamento de um processo aberto em Novembro de 2017 contra o futebolista luso-cabo-verdiano, Rúben Semedo. Este encontra-se em prisão preventiva desde a passada quinta-feira, no âmbito de um outro caso.
Segundo o Tribunal Superior de Justiça da Comunidade Valenciana, os denunciantes, que acusavam o futebolista de ameaças e maus tratos, perdoaram o internacional sub-21 luso e renunciaram, por escrito, ao direito de exercerem quaisquer acções penais e civis.
Em causa está um processo aberto, na sequência de queixas de uma mulher e de um homem, contra o jogador por incidentes ocorridos em Novembro do ano passado numa discoteca de Valência.
Os queixosos são uma empregada da discoteca que, alegadamente teve um incidente com o jogador, e um outro trabalhador do estabelecimento, que terá tido uma discussão com Ruben Semedo por causa do seu comportamento com a colega.
Os dois funcionários da discoteca acabaram por solicitar o arquivamento das queixas, facto que levou o tribunal a arquivar o processo contra o jogador do Villarreal, que se encontra com o contrato e o salário suspensos desde de que foi detido preventivamente.
Rúben Semedo, de 23 anos, está em prisão preventiva em Espanha desde a última quinta-feira, quando foi ouvido pela juíza por ser suspeito de ter, juntamente com outras duas pessoas, sequestrado um homem, a quem, sob ameaça com uma pistola, retiraram as chaves do apartamento, de onde roubaram dinheiro e objectos.
Jorge Carlos Fonseca preocupado com Rúben Semedo
Esta terça-feira, o presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, utilizou a sua página pessoal do facebook para expressar a sua preocupação para com a situação de Rúben Semedo.
“Procuro, estou a procurar saber o que se passa com o futebolista Rúben Semedo. Acompanho e interesso-me pelo caso. Este está sob a alçada das autoridades judiciárias espanholas legítimas. Mas não posso, não podemos desinteressar-nos de todo do que se passa ou se vai passar. Como cidadão cabo-verdiano, pelo menos, vejo-o também como um dos ‘nossos’ e não posso alhear-me de todo. Sinto-me ‘tocado’ pelo caso e pelo homem, pelo jovem, pela pessoa”, começou por escrever Jorge Carlos Fonseca.
Na publicação o chefe de estado cabo-verdiano reiterou o desejo pra a que jogador seja tratado em igualdade com qualquer outro cidadão.
“Não se pode, naturalmente, interferir numa situação que está a ser tratada por quem de direito. Apenas desejamos que Rúben Semedo seja tratado como qualquer outro cidadão num Estado de direito, nem melhor, nem pior. Pelas autoridades e pela imprensa”, concluiu.

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top