PUB

Mundo

Brasil: Presidente do Supremo rebate críticas ao poder judiciário

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) do Brasil, Cármen Lúcia Antunes, critica declarações feitas por políticos contra o poder judiciário e afirmou que “a lei é a linha divisória entre a moralidade e a barbárie”.
Cármen Lúcia falava durante uma cerimónia que inaugurou o ano judicial no Brasil, após uma interrupção que começou em Dezembro passado, na qual participaram o Presidente da República, Michel Temer, e os chefes da câmara baixa e da câmara alta parlamentar do país, Rodrigo Maia e Eunício Oliveira, os três suspeitos de práticas de correm investigações sobre corrupção.
De uma forma velada, Cármen Lúcia aludiu às críticas que quase todo o sector da política nacional mantém contra a ação dos tribunais diante dos escândalos de corrupção que ocorreram por mais de quatro anos no país e que colocaram contra a parede líderes de praticamente todos os partidos.
Segundo a presidente do STF, “a justiça não é ideal, é humana”, e “a lei é a linha divisória entre a moral e a barbárie”. Sem ela “não há paz social”.
Cármen Lúcia aludiu à censura dos sectores políticos diante de decisões judiciais adversas e considerou que “se pode ser favorável ou não a uma sentença e pode-se tentar modificar uma sentença”, mas enfatizou que “desprezo, agressão ou ataque contra a Justiça “são inaceitáveis “.
Nas últimas semanas, o sector judiciário foi alvo de críticas, devido à sentença pronunciada por um tribunal de segunda instância, que ampliou de nove e meio para doze anos e um mês uma sentença proferida contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva por suposta prática de corrupção.
Lula da Silva e o Partido dos Trabalhadores, que o ex-presidente fundou em 1980 e quer representar como candidato nas presidenciais do Brasil, que acontecem em Outubro próximo, consideram-se “perseguidos” pela Justiça, que acusam de se prestar aos interesses de uma “élite” que está a tentar impedi-los de voltar ao poder.

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top