PUB

Política

São Domingos: Clemente Garcia desvaloriza críticas da oposição 

O presidente da Câmara Municipal de São Domingos, Clemente Garcia, desvalorizou as recentes declarações do Líder da Bancada do PAICV, José Carlos Moniz, onde manifestou preocupação com a desprofisionalização do Vereador para Cultura, Turismo e Património, Manel de Cadinho e denuncia práticas de má gestão naquela autarquia.
Contactado pelo A Nação, Clemente Garcia começa por estranhar a apreciação do Líder da Bancada da oposição sobre o caso de Manel Candinho, uma vez que, segundo diz, o PAICV não votou a proposta e ainda criticou fortemente a profissionalização do Vereador em questão. “Agora vem com um ar gracejado e de forma cínica a estranhar o facto. É para não ser levado a sério, aliás tem feito um trabalho muito chocho”, disse
Clemente Garcia diz ainda que o “Líder da Bancada do PAICV é useiro e vezeiro no uso do chavão “dirige a Câmara sem transparência, sem diálogo e de forma antidemocrática”. Por isso apela a José Carlos Moniz que não se limite a “lançar bocejos” e que vá ao lugar próprio.
Relativamente à falta de diálogo apontado pelo Líder da Bancada do PAICV, o autarca de São Domingos pede a José Carlos Moniz que se informe antes de falar, pois, afirma que, “a Câmara reúne ordinariamente, prestando sempre todas as informações aos vereadores com total transparência e as actas estão aí para serem consultadas e sempre votaram por unanimidade as deliberações”.
Garcia diz ainda que, contrariamente às afirmações do Líder da Bancada do PAICV, “não há nenhum imbróglio à volta do autocarro”. “Só pode haver imbróglio na cabeça do Líder do PAICV, pois tem todas as informações a respeito do autocarro, o assunto já foi debatido e esclarecido na Assembleia Municipal. Já agora, aproveitamos para perguntar: será que ele não queria que nós adquiríssemos o autocarro para transportar os nossos alunos?”, acrescenta Clemente Garcia reiterando que “foi uma oferta da Cvtelecom”, conforme está escrito viatura desde a recepção.
“Nós nem sequer vimos a cor do dinheiro, porque fizeram a transferência directamente para a conta da empresa. Como se vê, a transparência é a nossa marca, não há nada a esconder”, completa Garcia afirmado que quanto à distribuição dos Pelouros, a lei é suficientemente clara e não carece de qualquer explicação.
Para finalizar, o presidente da Câmara Municipal de São Domingos manifestou o desejo de pôr um ponto final nesta questão e “concentrar no essencial, naquilo que realmente interessa, que é trabalho e mais trabalho”.

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top