PUB

Economia

Comunidade cabo-verdiana expectante com regresso de voos entre Boston e Praia

A comunidade cabo-verdiana nos Estados Unidos está expectante quanto ao reinício hoje dos voos da TACV – Cabo Verde Airlines entre a cidade da Praia, na ilha de Santiago, e Boston, nos Estados Unidos.

O empresário Tony Neves, da agência Neves Travel, diz que a programação dos voos devia ser alterada para servir melhor a sua comunidade.

“Neste momento, o voo chega à Praia de noite, obrigando todos os que fazem ligação para outra ilha a pernoitar. E o regresso acontece cedo de manhã, obrigando as pessoas a regressar no dia antes e passar mais uma noite na Praia”, explica Neves.

“Como só existem dois voos por semana, à segunda e à sexta, isso significa que quem faz ligação é obrigado a passar duas noites na Praia e apenas duas noites na sua ilha”, acrescenta.

Esta rota operou durante mais de 30 anos, servindo a numerosa comunidade cabo-verdiana de Massachusetts e Rhode Island, mas foi suspensa em 2015 e passou a operar a partir de Providence.

Tony Neves diz que a mudança de cidade de partida não é muito contestada pelos seus clientes.

“Há pessoas para quem serve melhor Providence, outras preferem Boston. Mas a comunidade está espalhada, até por outros Estados, e por isso não faz muita diferença a cidade de onde parte o voo”, explica.

Neste momento, não existem outras companhias aéreas a operar entre os dois países. Além dos voos TACV, os imigrantes cabo-verdianos utilizam a ligação da SATA pelos Açores (que tem ligações com quatro aeroportos cabo-verdianos) ou por Lisboa.

Tony Neves espera, no entanto, que sejam estabelecidos mais voos diretos.

“Se todas as semanas existissem dois voos de ida, e dois de vinda, seria ouro sobre azul, porque os problemas de ligação ficariam resolvidos”, diz.

Com a reabertura da rota, o administrador delegado da TACV, o português Mário Chaves, disse que a empresa pretende “dar resposta aos cabo-verdianos que vivem em Boston e facilitar as viagens entre as cidades”.

“Queremos ser a solução para os cabo-verdianos e aqueles que querem visitar as ilhas”, afirmou Mário Chaves, citado na nota de imprensa.

Entretanto, a TACV – A Cabo Verde Airlines prevê ainda reforçar, em março, a sua frota com mais aparelhos e criar novas rotas para outros mercados em 2018.

A companhia aérea pública cabo-verdiana está em processo de reestruturação com vista à sua privatização, tendo o Governo assinado, em agosto, com o grupo islandês Icelandair um contrato de gestão da empresa pelo período de um ano.

Com um passivo acumulado de mais de 100 milhões de euros, a empresa assegura agora apenas as ligações internacionais depois de o Governo ter negociado com a Binter Cabo Verde o exclusivo das ligações no mercado doméstico, empresa na qual entrou com 49% do capital.

A TACV tem ligações aéreas regulares para a Europa, Brasil e Estados Unidos.

Fonte:Diário de Notícias

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top