PUB

Política

China disponível para financiar nova sede da Rádio Televisão Cabo-verdiana e Inforpress

A República Popular da China já se mostrou disponível para financiar a criação da nova sede da empresa pública de comunicação social, a Rádio Televisão Cabo-verdiana e Inforpress (RTCI), avançou o director-geral da Comunicação Social, Justino Miranda.
Em declarações à Inforpress, o responsável explicou que, para tal, em 2016 o Governo terá que apresentar um projecto detalhado à China para que em 2017 possa ser concretizado, estando ciente de que com a mudança do Governo em Março de 2016, poderá haver outras prioridades para o sector, o que poderá trazer alguns “constrangimentos” para o projecto.
“As eleições têm sempre implicações nesses projectos e podem em parte atrasar os mesmos, mas essa é uma prioridade, independentemente de quem venha a governar o país no próximo ano, como forma de se garantir um bom serviço público”, disse, sublinhando que a nova sede da empresa terá toda a funcionalidade para a rádio, a televisão e agência de notícias.
“O meu medo é que em Cabo Verde, as vezes muitas prioridades dependem das pessoas e dos ministros responsáveis pelas pastas”, frisou, sustentando que, no quadro da cooperação, há muitas matérias que são consideradas prioritárias, e a comunicação ou a cultura são as áreas que muitas das vezes ficam para o segundo plano, mas espera que o referido projecto possa avançar, pelo que já existe a “pré-disposição” da China em financia-lo.
Justino Miranda frisou que, o quadro da cooperação com a China tem sido “muito frutífera” para o sector, visto que em 2015 recebeu da mesma e distribuiu cerca de 60 computadores aos diversos órgãos de comunicação social, assim como 20 jornalistas foram àquele país para formação.
Em Janeiro de 2016, conforme Justino Miranda, vão receber da República Popular da China uma oferta de equipamentos específicos para a comunicação social no valor de cerca de um milhão de dólares da República Popular da China, fruto das negociações que já vinham desde 2014.
Os mesmos serão dados, principalmente para a Inforpress, que no quadro da reestruturação, recebeu a promessa de ser levado avante a componente da inovação tecnológica para se ter soluções mais avançadas em termos de imagem e som.
Em matéria de cooperação, o responsável apontou a parceria efectivada em 2015 entre a Escola Superior de Comunicação de Lisboa para formação de especialização dos jornalistas, e a Universidade de Cabo Verde (Uni-CV), sendo que o Governo vai transferir um montante de 4.000 contos para a universidade equipar dois laboratórios, um para rádio e outro para televisão, e para que os formandos possam pagar muito menos para a formação.
É desta forma que a Uni-CV vai iniciar em Janeiro cursos de especialização em Jornalismo Económico em cooperação com a Universidade do Porto, para depois prosseguir com o Jornalismo Multimédia em parceria como a Escola Superior de Comunicação de Lisboa e, finalmente, em Jornalismo de Investigação em cooperação com a Universidade do Minho, todos de Portugal.
Outra parceria conseguida pela DGCS em 2015 foi com a Comissão Nacional da Unesco, para um projecto de criação do Centro de Excelência para Formação de Jornalista em Cabo Verde que ficará sediada na Uni-CV, sendo que a componente financeira será definida em Março de 2016.
Fonte: Inforpress

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top