PUB

Política

Autárquicas 2016 em Santa Catarina: PAICV com quatro potenciais candidatos

O PAICV tem sobre a mesa quatro nomes de potenciais candidatos à Câmara Municipal de Santa Catarina (CMSC), nas eleições autarquias, em 2016. Franz Tavares, Joaquim Furtado, João Mascarenhas e Lamine Tavares. Uns falam sobre o assunto, outros não.
Dados recolhidos pelo A NAÇÃO, em Santa Catarina, alguns dos quatro potenciais candidatos foram sugeridos pelos próprios militantes, simpatizantes e estruturas do PAICV naquele concelho de Santiago, e outros pela cúpula desse partido. O quadro pode, entretanto, começar a clarificar-se a partir do próximo domingo, durante uma reunião de militantes, na Assomada.
Ao que consta, o nome do economista e consultor Franz Tavares, presidente da Agência de Desenvolvimento Empresarial e Inovação (ADEI), está a ser aventado pela cúpula do partido. Um outro na mesma situação é Lamine Tavares, primeiro secretário do conselho do sector Assomada Centro.
Como preferidos das “bases” aparecem o professor e actual director do Parque Natural de Serra Malagueta, João Mascarenhas, “Mascá”, e Joaquim Furtado, professor e ex-líder da bancada municipal do PAICV em Santa Catarina.
Em conversa com A NAÇÃO a maior parte desses dirigentes admitiram já terem sido abordados pelos seus apoiantes e uns, inclusive, confessaram que já manifestaram a sua disponibilidade junto da direcção do PAICV. Este é o caso, por exemplo, de Joaquim Furtado.
“Desde 2008 um grupo forte de simpatizantes, militantes e forças vivas no concelho anda a desafiar-me para eu concorrer à presidência da CMSC. Diante disso, resolvi enviar uma carta à direcção do partido local e nacional manifestando a minha disponibilidade. Cabe agora a quem de direito decidir, sendo certo que só avançarei com apoio do partido”.
Por seu turno, João Mascarenhas admitiu igualmente que já foi contactado por um grupo de apoiantes. Mas, ao contrário do seu camarada Furtado, Mascá confessa que ainda “não disse sim nem não”. “Trata-se de uma iniciativa que não partiu de mim. Portanto, tenho que respeitar e analisar bem, até porque não fazia parte dos meus planos concorrer à CMSC. Mas diante deste chamamento e o rumo que as coisas estão a tomar estou a reflectir e ver qual decisão tomar”.
Já Lanime Tavares diz que prefere não comentar o assunto, por enquanto, na comunicação social. “No próximo domingo, dia 11, temos uma reunião com os militantes e, certamente, lá, toda gente vai saber qual o meu posicionamento”.
Tentamos ouvir também a reacção de Franz Tavares mas o tal não foi possível até o fecho esta edição, uma vez que ele se encontrava ausente do país.
 

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top