PUB

Economia

Governo procura financiamento para projectos agrícolas nas barragens de Saquinho e Faveta

O Ministério do Desenvolvimento Rural (MDR) está a procurar financiamentos para implementar projectos agrícolas nas parcelas a montante e a jusante das barragens de Saquinho e Faveta, nos concelhos de Santa Catarina e São Salvador do Mundo, respectivamente. Para todos os efeitos, água existe em abundância.
As barragens de Saquinho (Santa Catarina) e Faveta (São Salvador do Mundo), ambas na ilha de Santiago, inauguradas em 2013 e neste momento carregadas de água, aguardam ainda por projectos agrícolas de vulto para a sua melhor rentabilização. Afinal, são investimentos de monta que terão de ser pagos, sob pena de se transformarem em elefantes brancos.
A NAÇÃO soube junto de fontes do MDR, que a não conclusão dos trabalhos de instalação das redes de adução secundária e terciária, na barragem de Faveta, tem dificultado a implantação de alguns projectos agrícolas já financiados.
Isso porque as referidas redes secundária e terciária são importantes para levar a água até às parcelas dos agricultores. Conforme a nossa fonte, actualmete existe um projecto financiado pela FAO (Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura) que visa beneficiar cerca de 20 agricultores com a instalação do sistema de rega gota a gota, numa parcela de 2500 metros quadrados, destinado a cada agricultor contemplado.
Ainda de acordo com a mesma fonte, caso o problema da rede de adução não for resolvido, os materiais para aqueles projectos correm o risco de serem transferidos para outros locais.
Entretanto, A NAÇÃO sabe que uma equipa formada por técnicos da DGASP, da delegação do MDR em Santa Catarina e da SONERF (Sociedade Nacional de Engenharia Rural e Florestas – Entidade Pública Empresarial), organismo que gere as barragens deveria realizar uma visita no terreno, no passado dia 9, para resolver o problema. Porém, devido às fortes chuvas caídas nesse mesmo dia, a visita acabou por não acontecer estando ainda sem nova data. A ideia é disponibilizar água para rega, não só aos 20 agricultores a serem beneficiados pela FAO nesta primeira fase, mas também aos cerca de 350 beneficiários da água daquela infra-estrutura.
SAQUINHO À ESPERA DE FINANCIAMENTO
Já em relação  aos projectos agrícolas para os terrenos a montante da barragem de Saquinho, designadamente em Ribeirão Areia e Chão de Monte, sabe-se que o MDR está igualmente à procura de financiamento para beneficiar e ajudar os agricultores a implantarem os seus  projectos agrícolas, dado que as redes principais para adução já estão há muito tempo concluídas.
Diante de tal quadro, resta agora fazer a delimitação das parcelas agrícolas e introduzir o sistema de rega gota a gota nas parcelas de cada agricultor. De salientar que a água acumulada na barragem de Saquinho destina-se a irrigar cerca 66 hectares de terrenos beneficiando aproximadamente 250 agricultores directamente.
ÁGUA ARMAZENADA
A barragem de Faveta com capacidade máxima para armazenar 670.620 metros cúbicos de água, foi a primeira a transbordar este ano com as precipitações registadas em Agosto. E a barragem de Saquinho, que possui uma altura de descarregamento de 30 metros e com capacidade para armazenar cerca de 704.830 m³ de água, estava até ao fecho desta edição, apenas a 50 centímetros de altura de transbordar.

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top