PUB

Política

Governo decreta dois dias de luto pela morte de Corsino Fortes

O Governo de Cabo Verde decretou dois dias de luto pela morte Corsino Fortes, poeta, escritor, combatente da liberdade da pátria, «figura ímpar» do mundo da cultura, das letras e da academia.
Corsino António Fortes nasceu em São Vicente, em 1933. Licenciado em Direito pela Universidade de Lisboa, em 1966, exerceu a sua atividade profissional na Magistratura em Angola, onde foi Juiz do Tribunal de Trabalho de Benguela.
Combatente da Liberdade da Pátria, militou ativamente em prol da Independência de Cabo Verde, na clandestinidade, quando ainda exercia a magistratura em Angola.
Após a Independência, Corsino Fortes exerceu a diplomacia, tendo sido o primeiro Embaixador extraordinário e plenipotenciário de Cabo Verde em Portugal, Espanha, França, Itália, Noruega e Islândia, entre 1975 e 1981. Em Angola, foi Embaixador entre 1986 e 1989, exercendo função semelhante em São Tomé e Príncipe, Zâmbia, Moçambique e Zimbabwe.
Desempenhou os cargos de Secretário de Estado para a Informação de 1983 a 1989, tendo sido o promotor da televisão em Cabo Verde com a criação da então TVEC e foi Ministro da Justiça de 1989 a 1991.
Enquanto poeta, publicou a trilogia A Cabeça Calva de Deus (2001), composta dos livros «Pão & Fonema», «Árvore & Tambor», «Pedras de Sol & Substância», e «Sinos de silêncio, canções & haicais» (2015).
Presidiu ao Conselho Geral da Fundação Amílcar Cabral, à Associação de Escritores Cabo-verdianos (AEC) bem como à Academia Cabo-verdiana de Letras.

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top