PUB

Economia

Estudante desenvolve aplicativo que transfere ficheiros sem internet

António Celso Fernandes, estudante do segundo ano do curso de Engenharia Informática na Uni-CV (Universidade Pública de Cabo Verde), está a desenvolver o aplicativo “SilFer File Transfer”, que permite a transferência de ficheiros entre computadores, em grande quantidade e a alta velocidade, sem uso da internet. E sem riscos, também, de vírus.
António Celso Fernandes, 19 anos, natural de São Miguel (no interior de Santiago), afirma-se responsável pela criação do aplicativo informático “SilFer File Transfer”, aplicativo esse que possibilita a transferência de ficheiros a alta velocidade de um computador para outro, através de um sistema WI-FI (sem fios), sem necessidade de os computadores estarem ligados à internet.
Em conversa com o A NAÇÃO, Fernandes revelou que dedica cerca de seis horas por dia aprendendo linguagem de programação. E, graças a isso, tem conseguido desenvolver programas importantes na área de informática, como o caso do “SilFer File Transfer”.
Conforme refere o jovem informático, o “SilFer File Transfer é um poderoso aplicativo para enviar ficheiros com alta velocidade usando rede Wi-Fi. “Com esse aplicativo não é necessária qualquer ligação à internet para enviar ficheiros, já que com o aplicativo cada utilizador poderá criar a sua própria rede Wi-Fi com apenas um clique”, explica.
Fernandes revela ainda que, com tal aplicativo desenvolvido por ele, deixa também de ser preciso uma pen drive, ou disco externo, para transferir ficheiros entre computadores, muito menos preocupar-se com os vírus alojados nesses dois meios (pen drive ou disco externo), nem com a questão de espaço disponível, já que o utente poderá, directamente, enviar ou receber ficheiros de até 8 milhões de terabytes. “A velocidade de transmissão dependerá dos computadores envolvidos na transferência. Computadores normais poderão enviar ou receber seus ficheiros facilmente com uma velocidade de 10 MB/s sobre redes Wi-Fi e 50 MB/s usando um cabo(ethernet)”.
PRÁTICO
De acordo com Fernandes, é muito fácil  aprender a utilizar o “SilFer File Transfer”, necessitando apenas de um minuto para se ter o domínio do aplicativo, o que o torna extremamente simples. “Qualquer utilizador conseguirá usar este aplicativo com muita facilidade já que o aplicativo possui uma interface muito amigável, e um utilizador só precisa arrastar e soltar os seus arquivos para que estes sejam enviados para outro computador”.
Fernandes avança ainda que o aplicativo permite que o usuário continue uma transferência se ocorrer um erro,  ou caso queira cancelar uma transferência e continuar num outro momento, já que enviar um terabyte com este aplicativo é uma tarefa normal.
“Este é um recurso que nenhum sistema operativo oferece para os seus utilizadores. Trata-se de um aplicativo que possui suporte para cinco idiomas (português, inglês, francês, espanhol e alemão), e é destinado exclusivamente para o sistema operativo Windows. E é um aplicativo 100% grátis, estando disponível em http://appsilfer.blogspot.com.
ALCANCE
Segundo António Celso Fernandes, com o SilFer File Transfer é possível transferir ficheiros de um computador para outro numa distância de até 100 metros, num espaço aberto. No entanto, avança que quanto mais próximo os computadores estiverem um do outro maior será a velocidade de transmissão. “O modo de emparelhamento dos computadores é feito através da rede Wi-Fi, mediante um código gerado pelo sistema que, ao ser introduzido, permite os computadores ficarem ligados entre si. E terminado esse processo é só clicar no ficheiro desejado e enviar”, explica.
Fernandes avança também que está a pensar desenvolver o aplicativo para o sistema Android com o objectivo de substituir a tecnologia Bluetooth. Para já, faz saber que o aplicativo, disponibilizado há três meses, está a ser utilizado com sucesso pelos seus colegas e amigos e já teve aproximadamente 400 downloads.
Actualmente, Celso Fernandes avança que está a desenvolver um aplicativo para ajudar os utilizadores de internet, através do pen drive, a definirem quantos megas querem gastar, o tempo que pretendem ficar ligados à internet e programar o computador para encerrar automaticamente assim que terminar de fazer download, caso seja necessário.

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top