PUB

Cultura

Artistas satisfeitos por contribuírem com candidatura da cachupa para o Guiness Book

Os artistas que vão actuar nos dois dias da sétima edição do festival “Badja ku Sol” mostraram-se satisfeitos por estarem a fazer parte de um evento que irá promover um dos pratos tradicionais de Cabo Verde, mais conhecidos.
“Não existe nada melhor do que descer do palco, depois de um espectáculo e comer uma cachupa”, afirmou o músico, compositor e produtor Lejemea.
Já para Ricky Boy esta junção da música e da gastronomia tem tudo a ver. “Cabo Verde é conhecido pela sua música e também pela sua cachupa, portanto nada melhor do que unir os dois”.
“Vamos fazer história”, acredita Rei Assa. “Cabo Verde é uma mistura de tudo, Neste festival tem música tradicional, cachupa”, afirmou Chachi Carvalho.
Alguns dos artistas que sobem ao palco do “badja ku sol” no sábado (11) e domingo (12) estiveram em conferência de imprensa e mostraram também a felicidade de mais uma vez pisarem o palco na Praia da Gamboa para uma festa da música que junta o tradicional com as novas tendências musicais e duas gerações.
“Sinto-me bem. Muitos dos jovens artistas que estão aqui conhecem-me. Com eles sinto-me ainda mais jovem”, sublinhou Blick Tchutchi, autor de “ku formiga ku tudu gosta”.
O festival “Badja ku sol” que já vai na sua sétima edição tem como ingrediente principal os músicos cabo-verdianos, residentes ou da diáspora. Mas este ano trouxe para Cabo Verde o já conhecido do público Charbel.
Perguntado de como se sente no meio de um festival programado para ser 100% crioulo, Charbel responde que também faz parte do lema. “Têm de me considerar 100% crioulo uma vez que os dois trabalhos que fiz são cerca de 90% em crioulo. A vossa cultura está dentro de mim”.
O festival inicia ao meio-dia, deste sábado e vai até meia-noite. CG
 

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top