PUB

Cultura

ACL e BCA entregam Prémio da Literatura a Corsino Fortes

A Academia Cabo-verdiana de Letras e o Banco Comercial do Atlântico (BCA) entregaram, no final da tarde desta segunda-feira, 6, a Corsino Fortes, representado pelo filho, o Prémio da Literatura em comemoração aos 40 anos da independência de Cabo Verde.
Um prémio “único” e “especial”, criado especialmente para a data e enquadrada no programa da 40º aniversário da independência do país.
Corsino Fortes (filho) transmitiu aos presentes as palavras do pai, uma vez que este não pôde estar presente na cerimónia. “Meu sentimento é de profunda alegria por poder com minha modesta trajectória de vida e com uma obra em que tenho procurado expressar as transformações pelas quais tem passado esta terra no meio do mar a conquistar mais momento de poesia que tive a intenção de compartilhar”.
O premiado e também presidente da ACL agradeceu também a Castro Guerra, Presidente do Conselho de Administração do BCA, pelo apoio à ACL “como parceiro desde a criação da entidade”.
Corsino Fortes lamentou não poder estar presente na cerimónia de entrega do diploma e do prémio fisicamente “mas ao qual estou estreitamente conectado espiritualmente” e expressou a sua mensagem de contentamento que seguiu sob versos de um poema “que levei anos a namorar e só recentemente logrei conseguir. Canção que une a música de minha identidade crioula à minha ancestralidade”, escrito a 6 de Junho deste ano.
O momento de entrega do prémio esteve recheado de momentos musicais e declamação de poesia, duas delas “Não Há Fonte que Não Beba da Fronte deste Homem” e “De Boca Concêntrica na Roda do Sol”, declamadas pelo primeiro-ministro, José Maria Neves que quis, desta forma, homenagear aquele que considera “um dos apóstolos da cultura cabo-verdiana”.
“É uma grande honra, momento sublime, precisamente porque trata-se de um vate, de um homem plural que deu um grande contributo para a modernidade destas ilhas”, afirmou José Maria Neves. “Na hora que comemoramos os 40 anos, devemos reconhecer a grandeza desses homens que tem a imensidão do mar”.
Na apresentação, Daniel Medina, membro da ACL e mestre de cerimónia disse que iria celebrar-se “uma entrega mais do que merecida. É a primeira vez que isto acontece no país, trata-se de um acto de pura justiça, salientou. CG

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top