PUB

Desporto

Briga entre árbitro e jogador de futebol sob investigação

O presidente da Associação Regional de Futebol Santiago Norte, Arlindo Furtado, revelou a este jornal que o confronto que envolveu o jogador Wilson, do Varandinha, e o árbitro auxiliar Isolino já está a ser investigado. O Conselho de Disciplina da ARFSN já tem o assunto em mãos para decidir o que fazer.
O caso ocorreu, no passado dia 12, durante o jogo que encerrava a última jornada do campeonato regional de Santiago Norte entre as equipas de Flôr Jovem e Varandinha. O incidente foi a gota de água de vários desentendimentos que se vinham arrastando desde a 1ª parte, envolvendo vários protagonistas do encontro.
Presente, a reportagem da TCV mostrou, ao país, imagens degradantes de agressões físicas (socos e pontapés), em vários momentos, entre os jogadores, ou então entre os jogadores e elementos da arbitragem.
Segundo o presidente da ARFSN, os envolvidos deverão ser punidos conforme o regulamento disciplinar da Federação Cabo-verdiana de Futebol. “A punição vai de um a quatro anos de suspensão em casos de agressão a árbitros”, adianta Furtado ao A NAÇÃO.
Esse responsável ainda reforça ainda que todos os intervenientes no processo deverão ser sancionados, caso venham a ser declarados culpados.
Situações do género não são de todo novidade na região futebolística de Santiago Norte e um pouco por todo país, admitiu aquele dirigente desportivo. “Precisamente, por isso que situações do género nao podem passar em branco”, sublinhou Arlindo Furtado.
Em 2013, em São Vicente, o capitão do Batuque FC na altura, Odair Fortes, agrediu um dos elementos da equipa de arbitragem num jogo entre a sua equipa e o Mindelense. Neste caso particular, Odair foi constituído arguido pelo Juízo Crime da Comarca de São Vicente e, posteriormente, sujeito a uma punição criminal.
Um dos aspectos que tem sido muito reivindicado pelas Associações de Futebol é uma presença mais constante da polícia de ordem pública nos recintos desportivos. Para os responsáveis e outros dirigentes desportivos, provavelmente, os ânimos verificados no jogo entre o Varandinha e o Flor Jovem não teriam chegado ao ponto a que chegaram caso houvesse a presença de agentes da polícia no estádio municipal de Calheta de São Miguel.
Entretanto, tal policiamento nem sempre é possível uma vez que as associações desportivas não possuem recursos financeiros para pagar os serviços da polícia.
 
 

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top