PUB

Cultura

AME-CV absorve maior fatia do Banco da Cultura

De acordo com o relatório de contas do Fundo Autónomo de Apoio Cultura/Banco da Cultura de 2013, o Atlantic Music Expo (AME-CV) absorveu a maior fatia de apoios e financiamento disponibilizado por essa entidade. O mercado da música, que este ano entra na sua terceira edição recebeu quase 39 mil contos do Banco da Cultura, perfazendo 47,9% do bolo total dos financiamentos concedidos.
Os números do relatório ora divulgado, remontam a 2013 e deixam transparecer que o Fundo Autónomo de Apoio à Cultura, criado pela Resolução nº 38/2002 de 23 de Outubro, visando contribuir para a preservação, defesa e valorização do património cultural cabo-verdiano, teve na música, especificamente no AME-CV, a sua maior fatia, no total dos cerca de 81 mil contos disponibilizados no ano de 2013.
O sector da música lidera, inclusive, os processos e pedidos de financiamento que deram entrada nessa entidade bancária com 101 pedidos, do total dos 264 que chegaram ao Banco da Cultura. Esses 101 pedidos, correspondem, segundo o relatório, a 38% do volume das solicitações de financiamento e 29% de investimentos.
Além do AME-CV foram atribuídos três mil 514 e 119 mil escudos para a Música e mil 289 contos para Eventos.
OUTROS FINANCIAMENTOS
Já o Fórum Cultural Nacional 2013, recebeu um financiamento de cerca de oito mil contos, correspondendo a 10,2% do volume de financiamento, enquanto os financiamentos de Carnaval ascenderam a cinco mil contos, equivalentes a 6,5% do volume de financiamento total. Já o Fonartes 2013 recebeu um financiamento que ascende a quatro mil contos, equivalentes a 5,3% do volume global.
Em relação ao artesanato, o sector aparece em segundo lugar em relação ao número de pedidos de financiamento, ao registar 48 solicitações. O artesanato recebeu financiamentos na ordem dos três mil e 645 contos, ou seja, 4,5% das verbas gerais atribuídas.
A literatura com cerca de 550 contos (0,7%) e o teatro e a dança, com cerca de dois mil 559 contos (2,8%), são os sectores com menos financiamento obtido, mas também aqueles onde deram entrada menos pedidos de financiamento.
O documento destaca ainda que o valor inicial da conta do Ecobank, afecta ao Banco d acultura era de 44.490.960$00 e com o reembolso dos adiantamentos de financiamentos dos projectos e das actividades culturais, totalizaram uma receita de 52.511.475$00.
Já no que diz respeito à execução das receitas, o relatório informa que 93,89% das receitas foram para as despesas de capital, ou seja, para o investimento/financiamento das actividades culturais e 6,11% foram para as despesas correntes. GC

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top