PUB

Sociedade

São Valentim: Em tempos de crise casais ficam entre a inovação e o que está mais à mão

As lojas já estão com a cor que vai marcar este sábado, 14 de Fevereiro, Dia de São Valentim. O vermelho predomina neste final de semana, com conotação forte para o amor e a paixão. Os apaixonados já começam a correr de loja em loja para procurar a prenda ideal, outros compram o primeiro que vêem, mas para os mais desprevenidos, vale a criatividade mesmo.
Os lojistas estão entusiasmados com mais uma época comemorativa. Desta feita o dia de São Valentim, ou Dia dos Namorados, como a maioria prefere.
As vendas ainda estão mornas, segundo Sónia Rodrigues, da Jubilar, mas isso já é esperado, dado que a grande azáfama para encontrar um presente para o amado/a só deve acontecer mesmo um dia antes ou mesmo no dia dos namorados. “As mulheres, até este momento, foram as que mais compraram os nossos artigos. Mas, com o aproximar do dia, as vendas aumentam”, diz.
As ofertas são variadas. Dependendo do gosto do cliente ou do desejo de cada um, as lojas têm para presentes os habituais quadros com dizeres românticos, placas, diplomas do melhor namorado ou namorada do mundo, ursinhos de pelúcia, corações, relógios, kit’s, canetas, perfumes, cremes, lingeries, caixas de bombons com formato de coração e flores como rosa, margarida, antúrio, lírio, gerbera e orquídea. Esses, “especialmente para as mulheres”, costumam estar a partir dos 800 escudos. “Isso vai depender de como o mercado está e do preço que comprarmos lá fora”.
Com a propalada crise, as lojas prepararam artigos que “cabem no bolso de todos”. “Os preços estão razoáveis como sempre. Tem artigos a partir de 100 escudos. Nesse dia não deve contar o preço do presente, mas sim a intenção”, afirma uma outra vendedora.
Mas, em termos comparativos de vendas, as lojistas garantem que há quatro anos vendia-se muito mais por ocasião do dia dos namorados. “Claro que toda a conjuntura está a afectar, mas no ano passado vendemos bem”, disse Rodrigues.
CRIATIVIDADE
Além de vender, algumas lojas ainda sugerem como fazer para o dia 14 ser “o mais especial possível”. “Além de vendermos, também damos sugestões aos nossos clientes”, afirma Alexis Monteiro. “Calcinhas feitas com pérolas, que sugerem que a própria mulher é  presente, e já estão esgotadas, máscaras, algemas entre outras ofertas”, avança.
Fora isso, Alexis Monteiro diz ainda que a sua loja ainda fez um pacotes especiais para o Dia de São Valentim. “São os pacotes romântico, sexy e sado.  Ainda vamos introduzir um brinde, que pode ser uma rosa, na compra de um produto”.
Para este empreendedor, o São Valentim é uma data que deve ser marcada por momentos especiais, mas também deve-se inovar e surpreender o companheiro. “Os jantares, os presentes, de certa forma, já são esperados. São Valentim não deveria ser só isso. As pessoas deveriam ser mais criativas. Imagine em vez de um jantar se oferecer uma dança sensual com direito à massagem”, sugere.
Uma sugestão que foi seguida por um dos clientes que prepara uma noite para “surpreender a amada com massagens eróticas e uma dança sensual personalizada com uma fantasia”.
Segundo este cliente, que não quis se identificar, “para não estragar a surpresa”, já queria fazer algo mais criativo para o dia. “Eles dispõe de um leque de produtos bastantes sugestivos para poder trazer algo de novo para a relação, e quando pretendes surpreender a companheira é muito bom”.
Ao todo, o jovem gastou seis mil escudos. “É  a primeira vez que vou fazer isso numa relação estável”, adianta.
JOVENS NO CLIMA DO ROMANCE
Os casais mais jovens já estão a entrar nesse clima de romance criado para este dia. Maria dos Anjos, 23 anos, é designer gráfica, vive com o companheiro há cinco anos e têm dois filhos.
Para ela, 14 de Fevereiro é como um dia normal, pois o amor e o romantismo nunca devem ter dia nem hora marcada, mas algo espontâneo. Maria confidenciou-nos que o seu “momento romântico” é vivido por ela e pelo companheiro durante todo o ano, com trocas de presentes e mimos. “Ele costuma dar-me presentes, saímos. Ele é um homem romântico e eu também. Mas gosto mais quando ele faz qualquer coisa para mim. Já eu, normalmente, coloco músicas que ele gosta, escrevo poemas, mando mensagens, porque, para dizer, sou mais tímida”.
Apesar de a condição financeira não permitir gastos extras, esta jovem diz que isto não é razão para não dar um presente nesse dia, por mais pequeno que seja. “Isso não deve ser posta em xeque. O que vale é a intenção, por isso pode-se dar um presente como chocolate, ou então sair para ir ao mar. Qualquer coisa pode levar ao romantismo”.
Manuel Almeida Alves, 35 anos, e que está com a mulher há 16 anos, também é da mesma opinião. Embora não deixe passar um dia dos namorados sem presentear a mulher, este diz que há várias formas de passar o dia, sem deixar que os outros dias vividos a dois perca também o clima de romance.
“A minha primeira preocupação nesse dia é que terá de haver um presente especial. Como ela adora rosa, isso nunca falta. Já saímos para jantar, já amanhecemos numa praia, enfim. Quando não há muito dinheiro para sairmos, ela faz um jantar em casa com os nossos filhos. Ela nunca deixa de comemorar essa data. É muito mais romântica do que eu e faz questão que o dia 14 seja muito especial”.
Como no dia dos namorados “aquele presente” também faz muita diferença, Manuel Alves confessa que tem um gosto péssimo para a escolha, por isso, muitas vezes, pediu ajuda; outras, viu que a mulher gostou de uma peça e comprou para o dia. “O primeiro anel de compromisso dei-a nesse dia. Como sou guitarrista, ela pede também sempre músicas românticas. Ela sabe que sou fã de Norberto Tavares e ele canta muita a ‘Maria’, que também é o nome da minha mulher. Não poderia ser mais perfeito”, diz feliz.
E QUE O AZAR NÃO BATA…
Com o dia 14 a cair num sábado, já existem alguns supersticiosos a desconjurar. É que, a anteceder o dia do romance, chega primeiro a sexta-feira 13, dia do azar.
Alguns internautas já começam a acautelar-se para que a “sexta-feira de azar” não traga má sorte no sábado e fiquem sem a namorada e sem os presentes. “A minha preocupação não é o sábado, dia 14, mas sim esta sexta-feira 13. Que nenhum azarado venha agora levar a minha namorada incluindo o presente”, brinca um dos internautas. “Próxima sexta-feira é 13. Todos os que estão preocupados com o dia 14, todo o cuidado é muito”, refere outro.
 

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top