Home » Mundo » Espanha: Governo já não exclui possibilidade de Eleições antecipadas

Espanha: Governo já não exclui possibilidade de Eleições antecipadas

Últimas sondagens indicam que os partidos de esquerda ainda não conseguiriam assegurar uma maioria estável, apesar da subida das intenções de voto no PSOE.

O Governo Socialista Espanhol, com dificuldade para aprovar o Orçamento para 2019, já não exclui a possibilidade de antecipar as Eleições Legislativas para o mesmo dia em que se vão realizar as Europeias, a 26 de Maio próximo.

“Não se pode excluir nada, pelas mesmas razões de que não há nada seguro”, disse aos jornalistas o ministro do Planeamento e das Infra-Estruturas espanhol, José Luis Ábalos, citado pela agência Efe.

O “peso pesado” do PSOE (Partido Socialista Operário Espanhol), que é muito próximo do primeiro-ministro, Pedro Sánchez, avisou, no entanto, que “não se deve arriscar”, porque “daqui até Maio ainda falta muito” tempo.

“Seria um super-domingo, sem dúvida”, disse ainda José Luis Ábalos com humor, fazendo referência ao dia, 26 de Maio de 2019, em que também se irão realizar as Eleições Europeias, Autárquicas e Regionais (Comunidades Autónomas).

Pedro Sánchez tornou-se primeiro-ministro em 2 de Junho de 2018, depois do PSOE ter conseguido aprovar, no Parlamento, na véspera, uma Moção de Censura contra o Executivo do Partido Popular (direita) com o apoio do Unidos Podemos (coligação de extrema-esquerda) e uma série de partidos mais pequenos, entre eles os nacionalistas bascos e os independentistas catalães.

Os socialistas têm apenas 84 deputados num total de 350 e o Unidos Podemos 67, com as últimas sondagens a indicarem que os partidos de esquerda ainda não conseguiriam assegurar uma maioria estável, apesar da subida das intenções de voto no PSOE.

A oposição de direita insiste na necessidade de Eleições antecipadas e critica Sánchez por, quando fazia parte da oposição, ter defendido a demissão do Governo no caso de o Orçamento não ser aprovado.

Mesmo o principal apoio parlamentar do PSOE, o Unidos Podemos, sustenta que, se o Orçamento não for aprovado, deveria haver Eleições antecipadas.

A Lei Eleitoral espanhola prevê que o Governo tem até 1 de Abril do ano que vem, no caso de decidir realizar Eleições Legislativas antecipadas em 26 de Maio.

O ministro do Planeamento e das Infra-Estruturas assegurou que Pedro Sánchez convocará Eleições Gerais “quando considerar que tem de o fazer e nunca a reboque da pressão de ninguém”.

PartilheTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone

Comentário

Publicidade