Home » Actualidades » Fogo: Chã das Caldeiras abalada pelo homicídio de um indivíduo de sexo masculino

Fogo: Chã das Caldeiras abalada pelo homicídio de um indivíduo de sexo masculino

O suposto agressor, de nome Xisto de Lela, terá assassinado a vítima ao deferir alguns golpes de faca na casa da própria vítima, situada nas proximidades de Boca Fonte,  entre Cova Tina e Portela, por volta das 19:00

A localidade turística de Chã das Caldeiras foi abalada no início da noite deste domingo com o homicídio de um jovem de sexo masculino na casa dos trinta anos e que respondia pelo nome de Isildo de Pedrinho.

O suposto agressor, de nome Xisto de Lela, terá assassinado a vítima ao deferir alguns golpes de faca na casa da própria vítima, situada nas proximidades de Boca Fonte,  entre Cova Tina e Portela, por volta das 19:00.

Adriano Montrond, contactado telefonicamente pela Inforpress, disse que o suposto agressor teve um problema com um jovem da Costa Ocidental Africana que reside na Caldeira e que na sequência foi buscar uma faca para o agredir.

Quando regressou não encontrou o rapaz com quem teve problemas e foi à casa da vítima, que, segundo informações prestadas por Adriano e outras pessoas, encontrava-se deitado a descansar, à procura do jovem da Costa Ocidental de Africana, tendo encontrado uma pessoa deitada a terá agredido pensando tratar-se do indivíduo com quem teve problemas.

Uma outra pessoa que se encontrava no local por volta das 20:00, Marisa, disse que o agressor foi à procura do indivíduo da Costa Ocidental Africana, conhecido por “Papis” na casa da vítima. A vítima, conta a mesma fonte, disse ao agressor que não tinha visto “Papis” e aconselhou-o a deixa-lo, ao que o agressor desferiu algumas facadas, pelo menos duas, no peito de Isildo de Pedrinho que perdeu a vida no momento.

Mustafa Eren, uma outra pessoa de Chã das Caldeiras, contactado pela Inforpress, disse que apesar de beber muito o agressor é um “bom indivíduo” e por isso estranha a ocorrência, já que o agressor e a vítima eram amigos e não tiveram problemas.

Por volta das 20:00, uma equipa da Polícia Nacional (PN) já tinha-se deslocado ao local e inclusive detido o suposto agressor e levado para a esquadra de Santa Catarina do Fogo, e aguardava-se a chegada da ambulância para fazer o transporte do cadáver de Isildo para a morgue do hospital regional de São Filipe, supostamente para a realização de autópsia para determinar a causa de morte.

Refira-se que, recentemente, a Inforpress entrevistou algumas pessoas de Chã das Caldeiras para entender o que terá mudado quatro anos após a última erupção vulcânica, e a “falta” de segurança afigura-se entre as preocupações da população.

Para Danilo Fontes “Dom Danilon”, por exemplo, “falta a lei e a ordem” em Chã das Caldeiras, enquanto que David Monteiro Gomes “Neves” afirmara que “Chã precisa de justiça e é uma grande ansiedade da população o funcionamento de um posto de polícia porque há falta de segurança que deve ser colmatada o mais breve possível”.

Há sensivelmente três dias o edil de Santa Catarina, Alberto Nunes, disse que as condições estão criadas e que o posto policial deverá funcionar ainda antes do final do ano.

Inforpress

Comentário

Publicidade