PUB

Economia

Expositores brasileiros e portugueses surpresos com a “grandiosidade” e as oportunidades de negócios da FIC

Os expositores brasileiros e portugueses demonstraram-se hoje surpresos com a “grandiosidade” e as oportunidades de negócios que a XXII Feira Internacional de Cabo Verde proporciona e dão nota “positiva” ao primeiro dia da exposição.

Esta constatação foi feita à Inforpress depois de um périplo pela feira e entrevistas a alguns expositores  que estão presentes na FIC, que nesta edição conta com 220 stands de serviços e produtos de 130 empresas.

Filipe Santos, director do mercado externo da empresa portuguesa de distribuição alimentar, hotelaria e restauração, Food Go, disse que esta experiência na FIC, na cidade da Praia, está a ser “extremamente positiva, sendo que no ano passado em São Vicente foi o contrário”.

“Os indícios agora são extremamente positivos logo no primeiro dia e, na realidade, procuramos um parceiro local e já há uma relação comercial entre a nossa empresa e o mercado e, no entanto, ainda não temos um parceiro com uma estratégia local”, explicou.

O empresário salientou o facto dessa feira ser dedicada à CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa), observando que tem havido mais adesão de pessoas de outros países do que nos anos anteriores, o que, segundo ele, proporciona a criação de mais oportunidades de negócios.

“Com isso, poderemos encontrar clientes noutros mercados e até para as empresas cabo-verdianas que estão a expor”, observou Filipe Santos, considerando que a FIC está num “bom caminho apesar de ter muito para crescer”.

Aguivânio da Silva da distribuidora brasileira Franc, que está no mercado cabo-verdiano há dois anos, disse que a FIC deste ano está “excelente” não só na parte organizativa como também a nível da movimentação das pessoas.

“Esta feira é excelente, já participei em várias, tanto na Europa como no Brasil e esta está a abrir Cabo Verde para o mundo”, disse o empresário brasileiro, aconselhando o país a ter uma política mais de exportação.

Já Carla Costa, que representa a Master Way, de Portugal, que é uma solução de facturação de contabilidade baseado num software acessível em qualquer dispositivo móvel e computador, salientou a curiosidade dos visitantes em conhecer o produto da empresa.

Para esta promotora, a grande facilidade deste produto é que está preparado para o mercado de Cabo Verde, informando que já tem disponível no site (www.masterway.net) uma demonstração grátis durante 30 dias.

Em relação à participação nesse evento disse que tem havido muita procura e interesse sobre um produto que é novo e que por isso tem conseguido algum “sucesso” junto dos visitantes.

“É a primeira vez que estamos nesta feira e está a ser bastante positivo e a ideia de ser dedicada aos países da CPLP é importante não só pela facilidade de linguagem como também pela fiscalidade”, frisou.

Inforpress

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top