Home » Actualidades » Primeiro módulo de dessalinização de água na Brava vai ser instalado em Dezembro

Primeiro módulo de dessalinização de água na Brava vai ser instalado em Dezembro

A instalação do dessalinizador ronda os 20 mil contos, sendo pouco mais de 14 mil são assegurados pela AFD, e cinco mil contos pela própria empresa.

O primeiro módulo de dessalinização de água para o abastecimento exclusivo da comunidade piscatória de Furna (Brava) chega àquela ilha até 10 de Dezembro e começa a funcionar antes do final do ano, anunciou a Águabrava.

O administrador/delegado da Empresa Intermunicipal de Águas (Águabrava), José Rodrigues, que esta semana deslocou-se à ilha Brava juntamente com o pessoal da Agencia Francesa de Desenvolvimento (AFD), que financia o projecto, disse que a empresa já identificou o local onde será erguido um pavilhão para instalação do contentor/módulo de dessalinização, cuja execução é da responsabilidade da empresa.

O dessalinizador chega a ilha Brava “o mais tardar” a 10 de Dezembro e vai ser instalado “de imediato” e tem uma capacidade para produção diária que varia entre os 20 metros cúbicos, com recurso apenas a energia solar, e 60 metros cúbicos de água se for utilizada a energia convencional.

A água destina-se exclusivamente à comunidade de Furna, cuja necessidade, de momento, não ultrapassa os 20 metros cúbicos/dia de água que será elevada até o reservatório já existente, com capacidade para 60 metros cúbicos e depois disponibilizada por gravidade à população.

A instalação do dessalinizador ronda os 20 mil contos, sendo pouco mais de 14 mil são assegurados pela AFD, e cinco mil contos pela própria empresa e destinado a realização dos trabalhos de preparação do espaço e a construção da rede de distribuição na referida comunidade.

Além da unidade de dessalinização a ser instalada na Furna, a empresa pretende instalar uma unidade com maior capacidade na zona de Fajã de Água, no próximo ano, visando abastecer toda a ilha.

A instalação da segunda unidade com capacidade para 300 metros cúbicos com recurso a energia solar e 900 metros cúbicos se for utilizada a energia convencional, representa um investimento de perto de 300 mil contos e deverá ser executado ao longo de 2019.

Segundo o administrador/delegado da Águabrava, com a instalação da unidade de Fajã de Água, serão produzidos no mínimo mais 300 metros cúbicos, que serão elevados até ao Encontro, onde a água dessalinizada será misturada com a da nascente, e depois elevado até o reservatório de Risco Vermelho para abastecer toda a ilha, inclusive Furna se houver necessidade.

Com as duas unidades a funcionar, o problema de água na ilha Brava fica resolvida, já que em vez dos 360 metros cúbicos/dia disponibilizados neste momento, passará a dispôr de mais 320 metros cúbicos/dia, se for utilizado apenas energia renovável (solar) para fazer funcionar os dessalinizadores, e até um máximo de 960 se for com recurso a energia convencional.

Inforpress

PartilheTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone

Comentário

Publicidade