Home » Actualidades » 3º trimestre: alojamento correspondeu a 72% da despesa dos turistas

3º trimestre: alojamento correspondeu a 72% da despesa dos turistas

A actividade turística da Boa Vista correspondeu no terceiro trimestre a cerca de 50% da actividade turística nacional.

Os preços da oferta turística aumentaram em termos homólogos 1,5% no terceiro trimestre de 2018.

Os dados foram revelados hoje pelo INE e dão conta que esse valor aumentou 0,7 pontos percentuais (p.p.) face ao valor registado no trimestre anterior.

A variação trimestral observada no terceiro trimestre de 2018 foi de 6,3%, superior em 13,6 p.p. e de sentido contrário ao valor registado no trimestre anterior (-7,3%). Conforme o INE, isso deve-se ao padrão de sazonalidade deste indicador. No terceiro trimestre de 2017 esta variação foi de menor intensidade, situando-se 1,5 p.p. abaixo da atual.

No que toca à análise por classes, a classe dos Hotéis, Cafés e Restaurantes apresentou uma variação homóloga de 1,5%, 0,7 p.p. acima da que se verificou no trimestre anterior. A esta variação correspondeu uma contribuição de 1,5 p.p. para a variação do IPT total.

“Note-se que o movimento dos preços das dormidas em Hotéis (com uma contribuição de 1,42 p.p.) e dos Restaurantes (com uma contribuição de 0,27 p.p.) foram completamente determinantes para este comportamento do IPT total”, explica O INE.

De acordo com a mesma fonte, três componentes do IPT apresentaram contribuições de sentido oposto: Cafés Bares e Similares (-0,02 p.p.), Pensões (-0,01p.p.) e Aldeamentos Turísticos (-0,19 p.p.). Dois componentes do IPT apresentaram contribuições no mesmo sentido: Restaurantes (0,27 p.p.) e Hotéis (1,42 p.p.). Os preços das restantes componentes mantiveram-se constantes em relação ao trimestre homólogo.

Já o grupo Alojamento que corresponde a 72,7% da despesa turística foi assim determinante para o movimento global em termos homólogos do indicador (1,22 p.p.) com a Restauração, cujo peso representa cerca de 26,3% da despesa turística, a contribuir com 0,25 p.p..

A taxa de variação no trimestre em análise foi de 6,3%, superior em 13,6 p.p. à registada no trimestre anterior em que se situara em -7,3%. No mesmo trimestre do ano anterior verificara-se igualmente uma variação em cadeia (5,6%) superior em 11,3 p.p. à do II trimestre de 2017. Estes resultados resultam de movimentos sazonais de natureza mensal, com particular incidência na componente de Alojamento.

Concretamente, a variação deste trimestre face ao anterior revela uma diminuição significativa dos preços dos Serviços de Alojamento, com particular incidência nos prestados por Hotéis (9,8%).

Nos serviços prestados por Aldeamentos Turísticos verificou-se uma redução dos preços (4,6%). Nos restantes serviços turísticos registaram-se variações nulas face ao trimestre anterior.

Índice por ilhas

A variação do índice por ilhas, mostra que a Boa Vista, com 11,5%, dominou fortemente o movimento da taxa de variação trimestral que é observado no IPT Nacional. A atividade turística nesta ilha corresponde a cerca de 50% da atividade a nível nacional. A nível regional, registaram-se variações em cadeia trimestrais positivas nas ilhas de S. Vicente (0,60%) do Sal (1,30%) e da Boa Vista (11,50%).

Santo Antão e Santiago registaram um comportamento de quebra no nível dos preços face ao trimestre anterior com contribuições para a taxa de variação homóloga trimestral do IPT marginalmente negativas (-0,20% e -0,30% respetivamente). Boa Vista apresentou uma forte contribuição para a variação trimestral do IPT Nacional (5,8 p.p.) o que explica mais de 90% da variação do IPT a nível nacional.

Em termos homólogos, Boa Vista determinou também o andamento do IPT Total com uma contribuição de 1,81 p.p..

Já São Vicente apresentou uma contribuição marginalmente positiva (0,01 p.p.) As restantes ilhas cobertas pelo IPT apresentaram contribuições moderadamente negativas.

 

 

 

PartilheTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone

Comentário

Publicidade