Home » Actualidades » Operação “Voo da Águia”: Zany Filomeno confirma em ACP que mentiu durante julgamento

Operação “Voo da Águia”: Zany Filomeno confirma em ACP que mentiu durante julgamento

Zany Filomeno fez esta declaração hoje, na Cidade da Praia, durante a Audiência Contraditória Preliminar (ACP) solicitada pela defesa de José Arlindo Varela Semedo (Zé Pote)

Zany Filomeno confirmou hoje em audiência no Tribunal da Praia que mentiu durante o julgamento do caso “Voo da Águia” (2006), em que cinco arguidos foram condenados por crimes relacionados com o tráfico de droga.

Zany Filomeno fez esta declaração hoje, na Cidade da Praia, durante a Audiência Contraditória Preliminar (ACP) solicitada pela defesa de José Arlindo Varela Semedo (Zé Pote), que quer um despacho de pronúncia para que o processo que interpôs contra ela, por crimes de denúncia falsa, calúnia e difamação durante o seu depoimento no julgamento do processo “caso de droga no Sal” que o condenou a 19 anos de prisão, em Outubro de 2006 e arquivada em Julho deste ano pelo Ministério Público, vá a julgamento.

Respondendo ao advogado de Zé Pote, Zany Filomeno confirmou o que tinha admitido em carta publicado no jornal “A Nação” de que as declarações prestadas em julgamento “são falsas porque não correspondem a verdade” e que “prestou-as por ter sido induzida a fazê-las”.

Perante este facto, fonte próxima do processo disse à Inforpress que os advogados de Zé Pote ficam à espera de um despacho de pronúncia, que deverá ser conhecido até a próxima sexta-feira, 12, para poderem delinear próximos passos, adiantando que, caso Zany Filomento for condenada, a defesa de Zé Pote pretende usar a sentença final para interpor um recurso extraordinário para anular a condenação deste.

Durante o julgamento deste caso, também conhecido por “Voo da Águia”, na ilha do Sal, as declarações de Zany Filomeno foram peças importantes no processo que levou à condenação de cinco arguidos, entre eles Zé Pote, acusados pelo Ministério Público de envolvimento no crime de tráfico de droga, associação criminosa e lavagem de capital.

O julgamento do caso “Voo de Águia” iniciou a 18 de Abril de 2006 e, para além dos 13 arguidos, foram também ouvidas 18 testemunhas, quatro das quais agentes da Polícia Judiciária (PJ).

Os 13 arguidos, homens e mulheres, foram acusados de tráfico de droga e associação criminosa.

Em Julho de 2004, a PJ deteve dez pessoas nos aeroportos de São Vicente e da Praia (sete no Mindelo e três na Praia) na posse de quantidades variáveis de droga que totalizaram 202 quilogramas.

Nalgumas malas contendo a cocaína foram encontrados pacotes com o carimbo de uma águia, daí a designação de “Operação Voo da Águia”.

Inforpress

PartilheTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone

Comentário

Publicidade