Home » Actualidades » Palha Carga, Santa Catarina: Parada e sem “dinâmicas” para jovens

Palha Carga, Santa Catarina: Parada e sem “dinâmicas” para jovens

Grande número dos seus filhos encontram-se emigrados, em busca de melhores condições de vida”

A comunidade de Palha Carga, no interior de Santa Catarina, encontra-se parada e sem “dinâmicas” para a sua juventude. A constatação é dos jovens da localidade, que se queixam do desemprego, falta de espaços para lazer, encontros e reuniões, entre outros problemas.

A cerca de 10 quilómetros da Assomada, Palha Carga reflecte, em muitos aspectos, o quadro em que vivem várias comunidades isoladas ou encravadas do interior de Santa Catarina. Grande número dos seus filhos encontra-se emigrada, em busca de melhores condições de vida”.

Apesar de terem água canalizada e casas electrificadas, os jovens reivindicam a construção de infra-estruturas desportivas, espaços de convívio e reuniões, bem como de um jardim infantil. Sabe o A NAÇÃO que a Câmara Municipal de Santa Catarina, presidida por Beto Alves, iniciou a construção de uma placa desportiva, mas há quatro anos que as obras estão paralisadas, com tudo abandonado.

“O problema maior da nossa localidade é a falta de campos, jardim… O desemprego é elevado. Tudo isso tem impactos na nossa juventude, levando alguns para o mundo das drogas e outros problemas”, desabafa Michel Martins, um dos jovens de Palha Carga.

“Nestes dias, com as chuvas, estamos na monda, ninguém sente os efeitos de estar em casa, sentado e sem nada que fazer, mas logo que este período passar, voltaremos, aos poucos, ao desânimo habitual, na rua para cima e para baixo, sem alternativas”, acrescenta.

Vias de acesso

Agostinho Mascarenhas e Bernardo Borges são outros dois jovens ouvidos pelo A NAÇÃO. Ambos consideram a situação das vias de acesso como o problema “maior” de Palha Carga, uma vez que, quando chove, a localidade fica praticamente isolada.

Esta é também a opinião de Runelton Moreira, que escolheu a cidade da Assomada para viver, por considerar a Palha Carga, “tão perto do centro e ao mesmo tempo distante”, devido às péssimas condições de estrada e sem oportunidade para os jovens. Numa palavra, é mais um que optou pelo êxodo rural.

“As autoridades deveriam trabalhar no sentido de ligar Palha Carga com a estrada principal que dá acesso à cidade da Assomada”, diz um dos nossos entrevistados. “Assim, resolveriam o nosso problema maior, uma vez que na época das chuvas, quando uma pessoa adoecer temos que carrega-la no braço por longos caminhos. Isso contribui, de uma certa forma para o agravamento da sua saúde”.

Produção de ervas

A economia de Palha Carga é baseada na agricultura, principalmente produção de tabaco, “cancan” ou “louro”. O “louro” de Palha Carga, segundo os apreciadores, é famoso. Para os mais velhos, “é sagrado”, uma vez que, através dele, criaram e educaram os seus filhos.

Normalmente, a produção começa em Junho com o lançamento de sementes de tabaco à terra. Posteriormente, com a “leira” já pronta, passa-se para a plantação. Quando estiver numa fase bem crescida, colhem-se as folhas para a produção de “louro”. Esta cultura passa de geração em geração.

Para os mais idosos, o tempo passou, mas os problemas de Palha Carga continuam praticamente os mesmos, tanto é que já se “acostumaram”, contando apenas com o que retiram da terra e da remessa dos familiares emigrados.

Wilson Moreira

Comentário

Publicidade