Home » Opinião » Como a alta taxa de imigração ilegal afeta a nossa taxa de recusa de vistos

Como a alta taxa de imigração ilegal afeta a nossa taxa de recusa de vistos

No ano fiscal de 2017 (o ano que terminou em setembro de 2017), a taxa de permanência ilegal dos cabo-verdianos com vistos de visitante foi de 13,7%, uma das maiores taxas no mundo de permanência ilegal, à semelhança de taxas de nacionais de países como Burkina Faso, Serra Leoa e Sudão.

Por: Stephen LeCompte

Parece-vos que a Embaixada dos EUA na Praia tem negado mais vistos de visitante recentemente? Temos sim, e há uma razão. Quando os viajantes cabo-verdianos permanecem ilegais nos Estados Unidos, a nossa taxa de recusa aumenta. O uso indevido de vistos de turistas para fins de imigração ilegal é uma violação grave da lei dos EUA com consequências significativas, incluindo uma possível deportação. E, desse modo, torna mais difícil para outros cabo-verdianos obterem esses mesmos tipos de vistos. Mas com a ajuda da comunidade, podemos mudar essa tendência.

As decisões finais sobre os visto podem parecer aleatórias, mas uma quantidade significativa de dados entra nas nossas avaliações. Todos os anos, o Departamento de Segurança Interna dos EUA (U.S. Department of Homeland Security) divulga um relatório público sobre as taxas de permanência ilegal no país – uso indevido de vistos de visitante – por cidadãos de todos os países. O relatório inclui dados sobre quantos cabo-verdianos viajaram para os Estados Unidos e quantos ficaram ilegalmente. No ano fiscal de 2017 (o ano que terminou em setembro de 2017), a taxa de permanência ilegal dos cabo-verdianos com vistos de visitante foi de 13,7%, uma das maiores taxas no mundo de permanência ilegal, à semelhança  de taxas de nacionais de países como Burkina Faso, Serra Leoa e Sudão. Esta taxa foi ainda maior no ano anterior, atingindo uma taxa preocupante de 18,0%. Isto significa que, naquele ano, quase um em cada cinco cabo-verdianos que viajaram para os Estados Unidos com um visto de não imigrante válido ultrapassou o tempo permitido nos Estados Unidos (geralmente são seis meses), ou ainda mais comumente, decidiu viver indefinidamente de forma ilegal nos Estados Unidos. Não há uma taxa aceitável de imigração ilegal. Um viajante que ultrapasse a data permitida de estadia com o seu visto de turista está a infringir a lei de imigração dos EUA. E quando vemos uma alta taxa de permanência ilegal, é a nossa responsabilidade diminuir essa taxa sendo mais rigorosos na aprovação dos vistos.

O mesmo princípio aplica-se a outras categorias de vistos. Por exemplo, o relatório supracitado mostra que 24,3% dos estudantes cabo-verdianos permaneceram ilegalmente nos EUA para além da sua data de partida prevista. O efeito tem sido o mesmo: agora devemos olhar para os alunos com muito mais ceticismo em relação às suas verdadeiras intenções, e as taxas de recusa de visto de estudante aumentaram.

Certamente, a razão pela qual realizamos entrevistas é para que possamos julgar cada caso de forma justa, falando com cada requerente individualmente. Além disso, fizemos vários estudos para distinguir com maior precisão os cabo-verdianos que abusam dos seus vistos a taxas elevadas e os que usam os seus vistos corretamente. Queremos avaliar cada caso de forma justa. Mas à medida que tomamos mais conhecimento sobre o número impressionante de candidatos que abusaram dos seus vistos, cada vez menos requerentes são considerados bons viajantes. Esta é a razão pela qual mais entrevistas de vistos terminam com recusas. Em muitos casos, os requerentes que receberam vistos anteriormente já não são mais considerados potenciais candidatos, porque muitas pessoas com qualificações semelhantes permaneceram ilegalmente nos Estados Unidos no passado.

Há muitas consequências negativas por viver ilegalmente nos Estados Unidos: você corre o risco de ser preso nos Estados Unidos por agentes de imigração e ser deportado. Devido à sua condição de ilegal voçê poderá apenas obter autorizacões para trabalhar ou documentos de identificação por meios fraudulentos, e ficará vulnerável a exploração criminosa.  Você pode ter uma proibição legal para retornar aos Estados Unidos e pode arruinar as suas chances de imigrar legalmente através de uma petição familiar no futuro. Por fim, você lança dúvidas sobre os pedidos de visto de pessoas associadas a você, tais como familiares e amigos.

Porque estamos a compartilhar isto? Porque o nosso trabalho como adjudicadores de visto é duplo: o nosso objetivo é evitar o uso indevido de vistos, mas também facilitar viagens com intenções legais. Não queremos que seja difícil para os visitantes cabo-verdianos viajarem para os Estados Unidos. Mas até que o número de cabo-verdianos que usam os seus vistos de forma inapropriada diminua, a nossa taxa de recusa provavelmente aumentará ainda mais. Afinal de contas, é nossa responsabilidade negar as solicitações de qualquer pessoa caso não tenhamos certeza que cumprirá com as leis de imigração dos EUA. Esperamos que, ao explicarmos esta ligação entre a taxa de permanência ilegal e a taxa de recusa, os viajantes cabo-verdianos se comprometam a usar corretamente os vistos de turistas dos EUA e incentivem seus amigos e familiares a fazerem o mesmo – tanto para seu próprio bem como para o bem da comunidade cabo-verdiana.

—–

Sabemos que a solicitação de vistos é um processo demorado e complicado. Nós queremos ajudar. Consulte o site da Embaixada dos EUA (cv.usembassy.gov/pt/) para informações sobre o processo e siga a Embaixada dos EUA no Facebook (facebook.com/EmbassyPraia/) para obter mais informações sobre recursos e eventos sobre vistos. Entre em contato com a seção consular em praiaconsular@state.gov.

Stephen LeCompte é o chefe consular da Embaixada dos EUA desde 2016. As suas missões anteriores nas Relações Exteriores do Departamento de Estado dos EUA incluem Xangai, na China, e Monterrey, no México.

Comentário

Publicidade