Home » Actualidades » Santo Antão: Expectativa para a época alta do turismo é cada vez maior – operadora

Santo Antão: Expectativa para a época alta do turismo é cada vez maior – operadora

A expectativa dos operadores turísticos em relação à época alta do turismo em Santo Antão, que começa a partir de Outubro, tem aumentado de ano para ano, numa ilha que “tem tudo para dar certo” a nível do turismo.

As declarações são da operadora Sandra Pereira, gerente de uma das principais agências turísticas que operam em Santo Antão, ilha onde, a seu ver, o turismo tem vindo a crescer, apesar da falta ainda de um plano de acção no que tange ao desenvolvimento desta actividade.

“O turismo em Santo Antão tem tudo para ir para frente, mas é muito importante cuidar desta actividade. É preciso um plano de desenvolvimento do sector que tenha em conta a questão da natureza e do ambiente”, avançou Sandra Pereira.

Santo Antão, para potenciar o seu turismo, precisa do seu aeroporto, mas necessita, igualmente, de qualificar os recursos humanos, através de formação profissional, aconselha esta operadora que, através da sua agência – a Atlantur, tem estado a promover Santo Antão em diversos eventos nacionais e internacionais.

Ainda no decurso deste mês de Setembro, o turismo de Santo Antão e de Cabo Verde, no geral, estará presente num simpósio internacional em Marrocos, através da Atlantur que, segundo Sandra Pereira, que já esteve em França a promover esta ilha.

Os operadores turísticos em Santo Antão ultimam os preparativos para época alta do turismo nesta ilha, que decorre entre Outubro e Maio e que deverá ser marcada pela diversificação da oferta.

Além do trekking, até agora, o principal produto turístico de Santo Antão, os operadores começam a apostar, também, na promoção do canyoning e mergulho, diversificando assim, a oferta.

Apesar do crescimento registado nos últimos anos, a oferta turística em Santo Antão, “continua desorganizada e despreparada”, segundo um estudo sobre o turismo rural nesta ilha, elaborado, recentemente, no quadro do programa Emprego e Empregabilidade.

O trekking (caminhadas em trilhos à procura de natureza) é, para já, o principal produto turístico da ilha, mas o estudo recomenda a promoção de outras componentes desta oferta, como a gastronomia, a observação de espécies, e actividades desportivas complementares, como a escalada e o canyoning.

São actividades que poderão “assumir um papel relevante” em termos de oferta turística em Santo Antão, caso sejam “devidamente trabalhadas”, refere o estudo.

Mais de 26 mil turistas visitaram Santo Antão em 2017, registado um crescimento de 23,8% face ao ano de 2016, facto que confirma que esta ilha tem sido cada vez mais visitada por turistas, provenientes, maioritariamente, da Europa.

Os municípios de Santo Antão já definiram como “um dos grandes desafios” para o sector turístico, nos próximos anos, posicionar esta ilha no “circuito turístico internacional sustentável”, com foco no turismo de natureza.

As autarquias dizem ter como propósito consolidar a presença de Santo Antão na “rota do turismo nacional” e posicionar esta região no “circuito turístico internacional”, apesar do turismo ser ainda uma actividade “muito incipiente” nesta ilha, com “uma oferta ainda muito limitada”, avançou.

“A oferta turística é caracterizada pela ruralidade da ilha e espectacularidade das suas paisagens, mas continua muito limitada. O turismo em Santo Antão, que apenas contribui com 0,6% do todo nacional, está ainda numa fase embrionária”, segundo Valter Silva, vereador que responde pelo pelouro de promoção empresarial da câmara do Porto Novo.

Dificuldades ainda a nível de alojamento, dos transportes marítimos e aéreos (falta o aeroporto) e a qualificação dos recursos humanos são “fragilidades” que condicionam ainda a actividade turística em Santo Antão.

Apesar desses constrangimentos, o fluxo turístico tem vindo a aumentar em Santo Antão, ilha que, como atractivos, apresenta “um riquíssimo património natural e construído” que precisa, porém, ser preservado.

O Governo, no quadro do Plano Estratégico de Desenvolvimento Sustentável (PEDS) para Cabo Verde, previsto para o período 2017-2021, define, como um dos desafios, colocar Santo Antão entre as 20 ilhas mais belas do mundo.

O PEDS destaca também a aposta no ecoturismo e no turismo étnico como uma das vias para se promover Santo Antão como destino turístico e se colocar esta ilha, até 2021, entre as mais belas do planeta.

A nível do turismo étnico, a presença dos judeus nesta ilha constitui “um potencial produto turístico” e “uma oportunidade” de promoção de Santo Antão, que já dispõe de sítios “mais belos” do mundo, segundo o PEDS.

Inforpress

PartilheTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone

Comentário

Publicidade