Home » Actualidades » São Lourenço dos Órgãos: CCFPO arranca com formação em transformação de produtos derivados do leite com 20 formandos

São Lourenço dos Órgãos: CCFPO arranca com formação em transformação de produtos derivados do leite com 20 formandos

Esta capacitação em transformação de derivados do leite vai trazer oportunidades, através desta área de transformação.

O Centro de Capacitação e Formação Profissional dos Órgãos (CCFPO) iniciou hoje com uma formação em transformação de produtos derivados doe leite, com 20 formandos, em São Lourenço dos Órgãos, interior de Santiago.

Esta formação é o resultado de uma parceria estratégica entre o Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), a Câmara Municipal de São Lourenço dos Órgãos e o Centro de Capacitação e Formação Profissional dos Órgãos.

O Centro de Capacitação e Formação Profissional pretende implementar a acção de formação em transformação de produtos derivados do leite na modalidade de Iniciação Profissional (272 horas), a decorrer no Centro de Formação Profissional de Transformação Alimentar de São Jorge.

Segundo o director de CCFPO, Aguinaldo Borges, esta capacitação em transformação de derivados do leite ora iniciada vai trazer oportunidade que existe nesta localidade, através desta área de transformação.

De acordo com o responsável, o que “fazem com leite nos Órgãos não é muito justo”, uma vez que o produto pode ser utilizado de muitas formas.

“Em são Lourenço, a única coisa que se faz com o leite é sua preparação para se tirar a manteiga. Então queremos passar para um outro patamar, transformando-o em queijo e outros derivados”, adiantou.

“Somos pioneiros, mas com pouca experiência nesta área. Mas juntos com experiências dos formadores e de todos os parceiros, daqui a três meses vamos ter técnicos de qualidades”, afirmou.

Acrescentou que este curso não tem intenção apenas de formar técnicos, mas também fazer um acompanhamento destes após a formação, inclusive na colocação do produto gerado no mercado.

Aguinaldo Borges disse ainda que a formação serve como incubadora, onde os formandos vão iniciar com pequenas produções durante o curso, com produção de queijos e que no fim, quem apresentar mais capacidade de empreender, mas que não tem equipamentos evoluídos em casa, poderá desenvolver o seu pequeno negócio.

Avançou que o centro ajudará os formando com o plano de negócio, a fim de quando regressarem à casa, tenham ferramentas adequada para pôr em prática aquilo que prenderam durante a formação e fazer com que São Lourenço tenha oferta diversificada dos derivados do leite.

De acordo com o responsável, a ideia é transformar aquilo que é “produto local”, numa “potencialidade local”, neste caso que é o leite, indicando que começar-se-á primeiramente com a formação, “o primeiro passo a ser dado”, e posteriormente a transformação do produto em seus derivados.

Segundo o responsável, “este centro tem potencialidade de criar uma marca local tanto de queijo como carne, para além do fabrico de aguardente, visando criação de uma marca local.

“É neste sentido que estamos a trabalhar”, vincou.

Lembrou que o Centro de Formação Profissional de Transformação Alimentar de São Jorge tem algumas dificuldades com a ventilação e climatização, que são importantes para que este curso decorra na tranquilidade.

Aguinaldo Borges afirmou que para ter esta climatização funcionando terá que ter disponível o gás de emergência, que custa 242 contos. Também que há uma outra questão com o filtro de bomba de água que se encontra com alguns problemas, para além de outros gastos com a energia, cujo custo, segundo disse, é muito elevado.

O transporte que é um outro “calcanhar de Aquiles”, reconheceu, pelo que estão à procura de “plano de emergência” para que este centro tenha uma acção formação de qualidade.

Para o presidente do conselho de administração do Instituto do Emprego e Formação Profissional, Paulo Santos, a capacitação para o emprego é uma das melhores políticas activas do emprego, porque os dados mostram que há um grande número de jovens com formação profissional inserido no mercado de trabalho.

“Este centro tem tudo para dar certo, mas enfrenta alguns problemas, que estão a ser estudados para serem resolvidos, para se poder colocar o centro de facto à disposição dos funcionários e dos munícipes de Órgãos”, salientou.

Por sua vez, o presidente da Câmara Municipal dos Órgãos, Carlos Vasconcelos, disse que só com a formação podem “debelar” a pobreza e desemprego no concelho, elogiando, por isso, centro de capacitação pelo trabalho que tem feito no município, quer na formação quer na criação de oportunidades de trabalho para os jovens.

Inforpress

PartilheTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone

Comentário

Publicidade