Home » Actualidades » Júlio Andrade garante que situação financeira do Hospital Agostinho Neto “é boa”

Júlio Andrade garante que situação financeira do Hospital Agostinho Neto “é boa”

O Hospital Agostinho Neto (HAN), com um orçamento anual de 530 mil contos, tem  823 trabalhadores, sendo 117 médicos, 234 enfermeiros, 250 ajudantes de serviços, 40 vigilantes e mais de 100 técnicos superiores.

O presidente do Conselho de Administração do Hospital Agostinho Neto (HAN), Júlio Andrade garantiu hoje que a situação financeira da instituição “é boa”, uma vez que conseguiram pagar todas as dívidas referentes a 2007 / 2017.

“Neste momento a situação financeira é boa, conseguimos pagar todas as dívidas referentes a 2007 / 2017 e todas as despesas de 2018”, avançou o PCA que revelou que há dois anos o hospital tinha uma dívida de 402 mil contos e despesas por pagar.

Júlio Andrade falava aos jornalistas à margem de uma visita guiada, esta terça-feira, a alguns serviços do hospital, na sequência de uma denúncia do jornal a Nação dando conta que o Centro de Diálise está sem condições físicas e com falta de medicamentos, na qual participaram um representante da Ordem dos Médicos, Autoridade Reguladora para a Comunicação Social e da Associação para Defesa do Consumidor (ADECO).

Apesar do Hospital Agostinho Neto não dispor de um orçamento para investimento, o seu PCA  assegurou que neste momento a estrutura está em condições de fazer intervenções a nível das estruturas físicas graças às medidas implementadas pela sua equipa, elencando como serviços a padecerem desta intervenção, o Banco de Urgência, o Serviço de Imasologia e o Laboratório.

“Com os meios próprios vamos fazer intervenção nos serviços de oncologia, serviço de atendimento e gestão de utentes de modo a criar mais conforto e qualidade em termos de atendimento”, assegurou o PCA indicando que as obras da Pediatria já arrancaram.

Por outro lado, avançou que desde 2012 o Hospital Agostinho Neto já dispunha de um plano com soluções a longo prazo, mas que nunca foi executado, acrescentando que actualmente dispõe de um plano de intervenção e de modernização da estrutura avaliado em 1 milhão e 500 mil contos.

Conforme revelou, a maior preocupação é colocar o hospital a funcionar sem que haja rotura de medicamentos, consumíveis e fazer a manutenção dos equipamentos, com excepção da Tomografia Axial Computadorizada (TAC) que se encontra avariada.

“Brevemente vamos lançar um concurso para renovação de todos os equipamentos, é um pacote para todos os serviços e inclui TAC, ecografia, modernização dos dois equipamentos de radiologia equipamentos de dosímetros para protecção dos trabalhadores e um sistema para fazer armazenamento de imagens“, sublinhou Júlio Andrade, indicando que este investimento ronda os 100 mil contos e que até o início do próximo ano estará concluído.

Em relação às acusações do Partido Popular (PP), que considerou a direcção do Hospital Agostinho Neto (HAN), de ser “incompetente e arrogante”, Júlio Andrade disse que essas acusações não merecem nenhuma resposta.

O Hospital Agostinho Neto (HAN), com um orçamento anual de 530 mil contos, tem  823 trabalhadores, sendo 117 médicos, 234 enfermeiros, 250 ajudantes de serviços, 40 vigilantes e mais de 100 técnicos superiores.

Por ano, a estrutura recebe 110 mil doentes na urgência, 10 mil doentes internados, realiza 7.500 cirurgias programadas, 1500 cesarianas e urgências e cerca de 50.000 exames complementares.

Inforpress

PartilheTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone

Comentário

Publicidade