Home » Mundo » Banco Africano de Desenvolvimento apoia Guiné Equatorial

Banco Africano de Desenvolvimento apoia Guiné Equatorial

O principal foco do Programa incidirá sobre o apoio à transformação agrícola para a diversificação económica e sobre a capacitação da formulação de políticas públicas e sua implementação.

O Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) comprometeu-se a apoiar a diversificação económica da Guiné Equatorial na agro-indústria e através de um programa de capacitação para as políticas públicas.

O compromisso segue-se à aprovação do Documento de Estratégia Nacional (CSP, em inglês) da Guiné Equatorial para 2018-2022 pela Direcção do Banco, em Abidjan, capital da Costa do Marfim, na quarta-feira.

O CSP para 2018-2022 irá fornecer Orientação Estratégica do Banco para apoiar os esforços do Governo na diversificação da economia.

O principal foco do Programa incidirá sobre o apoio à transformação agrícola para a diversificação económica e sobre a capacitação da formulação de políticas públicas e sua implementação.

Recorrendo às fraquezas identificadas na estratégia para o período entre 2013 e 2017, o BAD planeia reforçar a assistência técnica e o desenvolvimento do conhecimento através do desenvolvimento de capacidades, preparação e coordenação de projectos, que considera ser factores-chave para o desenvolvimento do país.

Nos últimos 20 anos, o crescimento da economia da Guiné Equatorial foi impulsionado pelos seus recursos petrolíferos, que permitiram a construção de infra-estruturas para transporte e serviços primários, como água, electricidade e alojamento.

De acordo com dados do BAD, a queda do preço do petróleo afectou os investimentos públicos, no último ano representaram 17,2 por cento (%) do Produto Interno Bruto (PIB), diminuindo face aos 24,6% registados em 2013.

Para evitar ficar refém de um sector, o BAD considera que a diversificação económica é fundamental para o crescimento e estabilidade a médio e longo prazo.

Os principais sectores que deverão ser alvo desta diversificação, ao longo de dez anos, são: agricultura (que deverá crescer 12%), pesca industrial (com um crescimento esperado de 18%), transportes marítimos (crescimento previsto de 16%) e electricidade (cujas previsões apontam para um crescimento de 15%).

Para assegurar uma melhor comunicação entre o BAD e a Guiné Equatorial, e outros parceiros, será criado um Gabinete de Ligação em Malabo, capital do país.

O apoio do Banco vai sustentar-se no aprendido em CSP anteriores e terá ainda em conta as prioridades do Plano Nacional de Desenvolvimento Económico e Social (NESDP, em inglês).

PartilheTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone

Comentário

Publicidade