PUB

Sociedade

Muçulmanos em Cabo Verde celebram Tabaski sob o lema “união e luta contra a violência”

A comunidade muçulmana em Cabo Verde, celebra, de 22 a 25 deste mês, a festa de sacrifício de Carneiro, denominado de Tabaski. O culto, que tem a duração de três dias, celebra-se, este ano, sob o lema “União e luta contra todo o tipo de violência e terrorismo”.

A escolha deste tema, conforme Neka Thian, representante dessa comunidade em Cabo Verde, surge numa altura em que o mundo passa por crise de valores, enfrentando “grandes conflitos”, que muitas vezes vêm sendo associados aos muçulmanos, o que segundo ele, não corresponde à verdade.

“Nessa celebração vamos orar e transmitir a mensagem para a sociedade, demonstrando que o Islão não tem ligações com o terrorismo, mas sim que essas são práticas de homens sem carácter. Costuma usar o nome dessa fé para implantar o ódio entre os seres”, explica Neka Thian, salientando que essas pessoas têm o nome de muçulmano, mas não seguem as suas práticas e as leis do Alá.

Ao A Nação, esse representante garante que Islão é uma religião de paz, tranquilidade, trabalho e união, usufruindo da harmonia através de consolidação da fé.

De referir que Tabaski é comemorado a partir do décimo dia do mês de “Dhu al- Hijah” (ultimo mês do ano lunar no calendário islâmico), por muçulmanos de todo o planeta, em memória do profeta Ibrahim, que há 100 anos atrás, segundo contam os seus seguidores, ao invés de sacrificar um dos seus dois filhos, o “Deus enviou-lhe um Carneiro para usar no lugar deles”.

Nesse dia em que os fieis renovam a ligação com o seu profeta, celebrando a família e solidariedade com o próximo, sacrificam carneiros e dividem-nos em três partes, sendo uma para comer, outra para dar aos mais pobres e as restantes guardam para outras ocasiões.

Esse costume chegou a Cabo Verde em 1990 com a instalação da primeira Mesquita dos muçulmanos na cidade da Praia. Entretanto, actualmente celebram essa festa por todas as ilhas do país.

Segundo Neka Thian, vivem mais de quatro mil muçulmanos em Cabo Verde, oriundos de vários países do mundo, bem como os descendentes nacionais que se converteram a essa crença.

A festa do Tabaski, na cidade da Praia, decorre no polivalente de Tira-Chapéu, com centenas de muçulmanos.

WM

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top