PUB

Política

Cabo Verde acompanha com “muito cuidado” situação na Guiné-Bissau

O ministro dos Negócios Estrangeiros cabo-verdiano, Luís Filipe Tavares, disse hoje que Cabo Verde vai continuar a acompanhar “com muito cuidado” a situação na Guiné-Bissau, onde se encontra a líder do maior partido da oposição cabo-verdiano.
A líder do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV), Janira Hopffer Almada, está em Bissau para participar no congresso do partido homologo PAIGC, cuja sede está bloqueada pela polícia.
A polícia está a impedir a entrada e saída da sede do PAIGC, que deveria iniciar hoje o seu 9.º congresso, alegando o cumprimento de ordens judiciais que impedem a realização da reunião.
No interior do edifício, situado a um metro do Palácio da Presidência, estão mais de 200 pessoas, entre militantes e dirigentes do partido.
“Acabamos de ter essa informação e vamos continuar a acompanhar esta situação com muito cuidado. O diálogo é a melhor via para resolver todas as questões. A diplomacia cabo-verdiana vai continuar a acompanhar e penso que não haverá problemas de maior para que a líder do PAICV possa sair da Guiné-Bissau como cidadã livre que é”, disse Luís Filipe Tavares.
Luís Filipe Tavares, que falava hoje aos jornalistas na cidade da Praia, no final de um encontro de trabalho com o ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal, Augusto Santos Silva, mostrou-se ainda preocupado com os últimos desenvolvimentos no país.
“Cabo Verde quer que haja paz e tranquilidade na Guiné-Bissau. O roteiro que foi definido em Conacri deve ser respeitado. Vamos continuar a acompanhar esta situação, que preocupa Cabo Verde”, disse.
O chefe da diplomacia cabo-verdiana manifestou ainda o desejo de que “a paz e a procura incessante do diálogo seja o caminho para a resolução da questão guineense”.
“Vamos continuar a trabalhar com Portugal e com os demais países para encontrarmos as melhores soluções para os problemas da Guiné-Bissau, mas o problema essencial tem a ver com os atores políticos guineenses. Espero que haja bom senso, responsabilidade e, sobretudo, dialogo político. É um problema político deve ser resolvido politicamente”, acrescentou.
Por seu lado, o ministro dos Negócios Estrangeiros português que, numa declaração ao início da manhã, tinha afirmado não dispor de informações suficientes sobre a situação em Bissau, considerou “muito preocupantes” as últimas informações disponíveis.
“As últimas informações disponíveis são muito preocupantes e, logo que possa, vou falar com o nosso embaixador em Bissau para ter um retrato do que se está a passar e para realizar as exigências que esse retrato exigir”, disse Santos Silva, que hoje cumpre o segundo dia de uma visita a Cabo Verde.
Lusa

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top