PUB

Sociedade

Projecto “piso táctil” da ADECO quer dar maior liberdade aos invisuais

A Associação de Defesa do Consumidores (ADECO) lança nesta terça-feira (22), a campanha piso táctil em Cabo Verde para os invisuais.
Conforme o presidente da ADECO, a iniciativa visa “dar maior liberdade as pessoas invisuais para se movimentarem e fazer que um dos seus direitos sejam respeitados”, afirma António Pedro Silva apontando ainda as actividades que vão ser desenvolvidas como “de formação, informação, sensibilização/consciencialização e ainda lobby e pressão sobre as autoridades”.
Nessa “empreitada” a associação conta com a parceria do gabinete de arquitectura e urbanismo “Micadinaia”, que cuida da parte técnica do projecto e que mostra-se como alguma “repercussão” de outra actvidade em que auxiliaram a Adeco na elaboração do Manual de boas prácticas para acessibilidades em São Vicente e Cabo Verde.
Dessa vez, conforme a arquitecta Sandra Galina, querem continuar com a acção de tornar a cidade mais acessível para os deficientes com a criação desse piso táctil que é um pavimento diferente na sua textura e cor que vai auxiliar e guiar o invisual e as pessoas com deficiência visual profunda, delineia e também os alerta para os perigos.
“Queremos que as pessoas saem das suas casa, acedem a um transporte e chegam as instituições que nós invisuais conseguimos sem depender de outras pessoas”, salienta Sandra Galina referindo ao tipos de matérias que podem ser usados na sua construção como inox, PVC ou outros tipos de plásticos e o próprios betões que neste momento estão sendo utilizados para requalificar os passeios nas diversas cidades do país.
Os dois invisuais que estiveram presentes na conferência revelam-se satisfeitos com a iniciativa. Para o estudante Crisantos “Kiki” Santos, esta pode ser uma forma das autoridades e as instituições lembrarem um pouco dos deficientes que estão um pouco sendo “deixados de lado”.
Por sua vez Renato “Nana” Almeida acredita que um pouco da verba que tem sido utilizada na infraestruturação, poderia então ser usada nesse projecto. Aquele artista acredita ainda que o turismo é um dos sectores que pode tirar beneficio dessa iniciativa. “Costuma-se dizer que a nossa terra é um a terra de turismo, bonita para se ver, mas também vêm aqueles turistas que não conseguem ver e para movimentar na nossa cidade precisam de uma referência, que é o piso táctil e ele custa tão pouco”.
A campanha insere-se no plano de acessibilidades e locomoção das pessoas com deficiência, implementado pela ADECO no âmbito do projecto “Sociedade Civil na Defesa efectiva do consumidor”. Projecto esse financiado a cem por cento pela União Europeia.

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top