PUB

Sociedade

Perla Negra: Advogados vão recorrer

Todos os advogados dos arguidos do caso Perla Negra vão recorrer ao Supremo Tribunal de Justiça.
Os quatros advogados dos seis condenados pelo Tribunal de São Vicente, no caso Perla Negra afirmam recorrer ao Supremo Tribunal de Justiça (STJ). Todos contestam essencialmente a condenação aos crimes de associação, lavagens de capitais e também ao confisco dos bens em favor do Estado.
Armindo “Batchinha” Gomes, advogado de Ariel Benitez, aponta mesmo os crimes de associação criminosa e lavagem de capital como as “fraquezas” do processo, mas que acredita ser revogado pelo STJ. “Em relação ao meu cliente foi-lhe apreendido alguns bens, mas ficou provado nesse tribunal que ele tinha renumeração, practicava algumas actividades rentável em Cabo Verde e em Cuba, pelo que se há de estranhar”, salienta o causídico que considera também ser “absurdo” que o tribunal tenha apreendido bens dos outros arguidos estrangeiros, quando estes não têm propriedades aqui em Cabo Verde.
Batchinha espera agora que a”justiça seja feita pelo tribunal colectiva, até porque no seu entender o crime de associação criminosa não se resume a pequenos encontros em bares e alguns telefonemas.
O outro advogado de Ariel, e também de Patrick Komarow, João Tavares, também defende a mesma posição de não haver “factos para enquadrar os arguidos nos crimes de associação e lavagem de capital”. Por outro lado, diz que o Tribunal está a confiscar coisas que não existem, uma vez que os seus dois clientes não têm bens.
Quanto a defesa de Alexandre “Xand Badiu” Borges – arguido que levou a maior pena, 16 anos – considera que o julgamento na primeira instância decorreu “normalmente”. Contudo, João do Rosário mostra que só poderá fazer uma avaliação mais profunda quando tiver acesso a cópia da sentença , mas avança que vai recorrer.
“O meu arguido é uma pessoa reconhecida em São Vicente pela positiva e pela capacidade de trabalho. Conseguiu ao longo desses anos angariar algum património e de repente vê o Estado vir a ter propriedade sobre bens que lhe pertenciam, quando não resulta minimamente provado que estes foram produto do tráfico de droga” reitera do Rosário acrescentando ter Xand Badiu ter a pena mais pesada por estar condenado ao crime de posse de armas, especificamente armamento de guerra.
Quanto ao quarto advogado, Félix Cardoso, também defesa de Xand, e ainda de Carlos Ortega, Juan Bustus e José Villalonga decidiu reagir só quando tiver a cópia da sentença em mãos, que será disponibilizado na segunda-feira.
Consultar artigo Perla Negra: Xand badiu com maior pena

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top