PUB

Política

Paris/atentados: Primeiro-ministro condena ataques que já fizeram pelo menos 127 mortos

O primeiro-ministro condenou hoje os atentados terroristas em Paris, França, de sexta-feira à noite que já causaram até ao momento pelo menos 127 mortos e 180 feridos, sublinhando que é um ataque contra a democracia.
“Condenamos de forma veemente este ataque terrorista contra a liberdade e o Estado de Direito, mas trata-se também de um ataque à humanidade, porque é uma demonstração de uma grande intolerância e de muito ódio”, declarou José Maria Neves à Rádio de Cabo Verde (RCV).
Por ser uma cidade com uma comunidade cabo-verdiana muito grande, o chefe do Governo explicou que neste momento, tanto o Ministério das Relações Exteriores (MIREX) como o Ministério das Comunidades (MDC), estão em “intensos contactos” com a embaixada do arquipélago e com as autoridades em Paris para saber se há ou não cabo-verdianos entre as vítimas.
“Ainda não temos dados, mas estamos a trabalhar incessantemente para ver se a comunidade foi de uma forma ou de outra afectada, mas tenho recebido directamente algumas mensagens de cabo-verdianos em Paris a dizerem-se que em bairros onde moram, não foram afectados, mas temos de trabalhar para ver se haverá cabo-verdianos e analisarmos o que fazer em termos de apoio a essas famílias”, sublinhou.
Para José Maria Neves, é preciso haver uma “forte aliança” de toda a humanidade no sentido de se combater o terrorismo e realçou que neste “momento de horror” apresenta toda a solidariedade, a amizade do cabo-verdiano para com os franceses, ao Governo e às autoridades, endereçando condolências às famílias enlutadas.
Oito terroristas, todos com coletes de explosivos, atacaram seis locais, entre eles uma sala de espectáculos e o estádio nacional, onde decorria um jogo de futebol entre as selecções de França e da Alemanha.
Dos oito atacantes, sete dos quais suicidas, morreram, de acordo com as mesmas fontes policiais francesas. A França decretou o estado de emergência e restabeleceu o controlo de fronteiras na sequência daquilo que o Presidente François Hollande classificou como “ataques terroristas sem precedentes no país”.
Estes foram os atentados mais sangrentos na Europa desde os ataques em Madrid, em 2004 a o mais violento da história francesa desde a Segunda Guerra Mundial.
Fonte: Inforpress

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top