PUB

Cultura

“Crowdfundig” para dicionário de música cabo-verdiana: Mais de cinco mil euros arrecadados

Gláucia Nogueira, jornalista e investigadora brasileira residente em Cabo Verde, arrecadou cerca de cinco mil euros numa campanha de “crowdfunding” para publicar um dicionário sobre a música cabo-verdiana. O valor conseguido será destinado ao lançamento do seu quarto livro, “Cabo Verde e a Música – Dicionário de Personagens”. Um trabalho que reúne 964 personagens, entre compositores, intérpretes e outros. Algo sem precedentes em Cabo Verde.
Cinco mil oitenta e um euros foi o valor conseguido por Gláucia Nogueira, em dois meses, com a campanha “crowdfunding”, que visava arrecadar o dinheiro necessário para publicar o seu quarto livro, um dicionário sobre a música cabo-verdiana. “Cabo Verde e a música – Dicionário de personagens”, assim se chama.
“Todas as ilhas e todas as comunidades na diáspora têm personagens retratados no dicionário. São 964 verbetes (compositores/as, intérpretes, professores, regentes de bandas, construtores de instrumentos produtores) e grupos. E também alguns personagens que, não sendo cabo-verdianos, estão ligados à música de Cabo Verde”, assegura.
Gláucia Nogueira explica que a ideia da campanha surgiu da dificuldade em encontrar quem quisesse editar um tal livro, “extenso” e “volumoso”. Isto é, depois de procurar vários patrocínios, sem sucesso, restou-lhe como única alternativa recorrer a esta campanha, através das redes sociais e que é já uma prática em todo o mundo.
“Inicialmente, a minha ideia era imprimir mil exemplares, mas quando vi que não conseguia uma editora, nem patrocínios suficientes, decidi imprimir apenas 300. Além disso, abri mão de páginas com fotos coloridas, o que significa dizer que haverá menos fotos do que o inicialmente imaginado. Enfim, o projecto foi adaptado a uma versão de baixo custo”, conta.
E explica: “Para imprimir os mil exemplares que eu pretendia inicialmente, o custo, em Cabo Verde, incluindo a paginação, seria de mais de 2 mil contos. Em Portugal, 11 mil euros (cerca de 1200 contos), mais ou menos a metade do preço. Devido a esses valores tão altos, decidi pela tiragem menor”.
Questionada sobre a possibilidade de fazer um empréstimo no Banco da Cultura, uma instituição criada para fins do tipo, e, também, por se tratar de uma pessoa conhecida, a investigadora é categórica: “Apresentei um projecto em 2013, não obtive resposta, portanto, não fazia sentido apresentar de novo”.
MECENATO?
Sem grandes entusiasmos, a investigadora e jornalista adverte para a questão da lei do mecenato em Cabo Verde: “É bom que exista, e espero que esteja a funcionar para os artistas, pois o que mais faz falta no momento é sensibilidade para as questões culturais, históricas, enfim, para assuntos sérios e tratados com rigor e seriedade, por parte das pessoas que dirigem empresas com dinheiro para patrocinar. Porque patrocínios não faltam para eventos, como festivais, galas, tudo coisas que duram apenas uma noite, sem consequências para a cultura”.
Gláucia recorda que já houve um Fundo de Apoio a Iniciativas Culturais, mas há muito tempo que não se ouve falar. “Este ano o Arquivo Histórico Nacional está a apoiar a publicação de alguns livros, mas seria bom que houvesse mais. Este projecto teve, na fase final de redacção (2011), apoio do IPC (Instituto do Património Cultural), mas depois para a publicação não foi possível”, sublinha.
ATRASO POR FALTA DE FINANCIAMENTO
Gláucia Nogueira explica que, devido à falta de financiamento, esta sua obra, “Cabo Verde e a música – Dicionário de personagens”, em preparação há mais de 15 anos, concluída em 2013, está há dois anos à espera para ser lançada. “Eu comecei a pesquisar em 1997/98, mas foi por volta de 2005/2006 que comecei, realmente, a escrever os textos que viriam a ser concluídos em 2013, altura em que comecei a pedir patrocínios. Desses, o único que consegui, antes de a campanha, foi da Câmara Municipal da Praia, em 2014. Daquela época a esta parte, foram dois anos de espera, mas, enquanto isso, fui sempre actualizando, com alguma informação nova que surgia”, revela.
DIFICULDADES ENCONTRADAS
Antes do problema dos patrocínios que não apareciam, a escritora teve ainda que lidar com outras dificuldades que encontrava pelo caminho ao longo da elaboração da obra.
“Uma das maiores dificuldades que encontrei foi relativamente à localização de pessoas espalhadas por todos os países da emigração cabo-verdiana. Muitas vezes conseguia os telefones ou e-mails, enviava as questões, mas elas não respondiam. Outras vezes tive de viajar, dentro de Cabo Verde e Europa, mas, por questão financeira, não pude ir aos EUA, de modo que, com os artistas de lá, as entrevistas tiveram que ser à distância, ou então quando os encontrava em Cabo Verde”.
Outra dificuldade tem a ver com as capas dos discos, que muitas vezes não trazem informação praticamente nenhuma sobre os artistas, o que, de alguma forma, acaba por condicionar um trabalho deste tipo”, conta.
LANÇAMENTO EM CABO VERDE E PORTUGAL
“Cabo Verde e a música – Dicionário de personagens” será lançado em Cabo Verde e em Portugal, segundo a autora, Gláucia Nogueira. “Penso lançar em Lisboa, inicialmente, assim que sair da gráfica, já que vai ser impresso em Portugal; a seguir será em Cabo Verde, onde  gostaria de apresentar na Praia e no Mindelo, pelo menos”. Ainda que sem data marcada, a escritora garante “o lançamento será, sem dúvida, antes do final do ano”.
A autora não esconde o desejo de levar sua obra a todas as comunidades onde existam personagens retratados no livro, como Holanda, França, EUA, Angola, etc., mas, conforme a mesma, “os custos são sempre limitadores dos nossos desejos”.
Quanto à aquisição do livro, Gláucia Nogueira explica que os que fizeram doação, a partir dos trinta euros, têm direito a um livro que será entregue numa das sessões de lançamento, em Cabo Verde ou em Portugal, aos que contribuíram com cinquenta euros será enviado o seu exemplar por correio, onde quer que estejam, e os que doaram a partir de oitenta euros, além de receber o seu exemplar, têm o seu nome citado no livro com um agradecimento pelo apoio.

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top