PUB

Economia

MpD acusa Governo de deteriorar situação monetária do país com a redução do crédito à economia

O MpD acusou hoje o Governo, através de um comunicado de imprensa, de ter “deteriorado” a situação monetária do país com a redução do crédito à economia e a elevação da taxa de juro acima de dois dígitos.
Segundo o documento divulgado hoje pelo Movimento para a Democracia (MpD), na Cidade da Praia, passados seis meses após a decisão do Conselho de Administração do Banco de Cabo Verde num “afrouxamento da sua política monetária”, dados da própria BCV vêm confirmar a “deterioração” da situação económica do país.
“O MpD já tinha alertado o Governo. A realidade não se altera por decreto, nem com pacotes de propaganda e de medidas avulsas. A economia cabo-verdiana continua em profunda estagnação e o potencial de crescimento económico tem estado a reduzir-se e quedou-se hoje para níveis abaixo dos 3%”, cita o documento.
De acordo com o MpD, o crescimento real efectivo situa-se na ordem de 1%, “pelo que Cabo Verde cresce hoje menos do que todos os seus principais parceiros e competidores, menos do que o continente africano (seis vezes -), menos do que os países da região da CEDEAO (cinco vezes -), e menos do que os pequenos países insulares (três vezes -) “.
Segundo o maior partido da oposição no arquipélago, Cabo Verde tem um Governo que não consegue compreender que as empresas são instituições da mais elevada importância no país e que são as empresas que geram empregos e rendimentos, competem à escala global, criam valor, inovam, produzem e exportam.
“Este Governo não consegue cuidar do ambiente de negócios e não se empenha na sua melhoria. Só assim se justifica que o ambiente de negócios seja mau”, sublinha indicando ainda, que o país continua ainda na cauda de avaliação em termos de ambiente de negócios e de competitividade.
De acordo com o comunicado do MpD, Cabo Verde ocupa a 86ª posição, entre 144 países, no índice de competitividade do turismo; 114ª posição de 144 países, no índice de competitividade global; e 122ª posição, de 189 países, no Doing Business do Banco Mundial.
Por este motivo, o MpD sustenta que o ambiente de negócios é mau, pois, “o país continua sendo confrontado com uma contínua deterioração das condições de acesso ao financiamento às empresas”, enquanto o ambiente de negócios continua a enfrentar permanente redução do rendimento disponível e da procura interna e um aumento continuado do desemprego e do subemprego.
“O Estado deve hoje mais de 6 milhões de contos às famílias, um valor acima de 4% do PIB e dois milhões de contos de IUR e IVA; 1,5 milhões de contos ao sistema”, sustenta o comunicado, enfatizando que “na verdade, temos uma única opção racional. Abraçar um novo projecto de sociedade protagonizado pelo MpD”.

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top