PUB

Cultura

Mindelenses mais conscientes com o Morabesta

Retratando as multi-facetas  da violência que acontece em São Vicente e também em Cabo Verde, a peça “Morabesta” conseguiu mexer com a consciência dos mindelenses.
Através de ambiente de encapuzados, tambores rufando, e as diversas formas da violência desfilando pelo palco:  violência nas ruas,  doméstica, sexual, bullying e tantas outras facetas; os alunos do 15º curso de iniciação teatral do Centro Cultural Português do Mindelo e o “Morabesta” conseguiram fazer os espectadores reflectirem.
Que o diga Cheyenne Carvalho que assegura que a partir de agora pode “ver com outros olhos” situações que anteriormente lhe passavam despercebidos. “Eles conseguiram passar a mensagem de mostrar a violência, principalmente aquela que existe agora nas ruas que não deixam ninguém sair à noite despreocupado”.
Luís Mendes por sua vez põe tónica sobre a linguagem “forte” utilizada na peça para retratar a violência fisica e psicológica que vem sendo rotina nestas ilhas. “Utilizaram muitos palavrões durante o espectáculo, algo que a princípio é muito constrangedor, mas que tenho consciência que a realidade que vivemos nesta terra”.
Por isso, Luís Mendes mostra-se satisfeito com o desempenho dos actores nessa chamada de atenção para essa temática, que está na actualidade. Também este espectador espera, que a partir de agora, os cabo-verdianos possam pensar mais sobre essa situação “tão preocupante”.
Entretanto, Jaime Cardoso mesmo consciente, depois do Morabesta, que a violência em Cabo Verde tem aumentado e ainda assim encarado como algo banal, acredita que nada vai mudar. “ Acho que não se pode fazer nada, basta ver a linguagem que a nova geração está usando, de palavrões, também na maneira de agir, sempre prontos para uma briga”.
Pelo sim, pelo não, o certo é que ninguém ficou indiferente ao “Morabesta”, ouve até gente que chorou durante o espectáculo, que conseguiu escancarar a violência e desmascarar as bestas que circulam por essa terra de Morabeza. Aliás foi o jogo entre essas duas expressões, morabeza e besta, que deram origem ao nome da peça.
Foi assim o rescaldo da primeira noite de apresentação, que aconteceu nesta terça-feira. Hoje há mais, uma segunda apresentação. que já conta também com casa cheia, e que igualmente fará as pessoas arrependerem-se de sequer pensar em rir durante a peça. LN
 
 
 

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top