PUB

Cultura

Prémio é força para continuar a contribuir para Cabo Verde, diz Corsino Fortes

O poeta Corsino Fortes, que venceu o Grande Prémio Literário Vida e Obra atribuído pela Academia Cabo-Verdiana de Letras, afirmou hoje à agência Lusa que o galardão “é uma força” para continuar a contribuir para Cabo Verde.
“Na situação em que me encontro, em tratamento, esse reconhecimento é uma força para que eu possa restabelecer-me o mais breve possível e continuar a dar o meu contributo para o engrandecimento da nossa terra de Cabo Verde”, disse à Lusa o poeta e diplomata cabo-verdiano.
Corsino Fortes, 82 anos, encontra-se em Lisboa em tratamento médico, razão pela qual não esteve presente na cerimónia do prémio, anunciado na presença do Presidente de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, e do anterior, Pedro Pires.
“Agradeço imenso a gentileza e generosidade, mas o que mais me estimula é saber que este prémio podia ter sido ganho por muitos escritores que eu conheço e que têm dado de facto um contributo excelente, generoso, solidário para o engrandecimento” da nossa terra, salientou o primeiro embaixador de Cabo Verde em Portugal, em 1975.
O prémio, no valor de 500 mil escudos (4.534 euros), destina-se a laurear uma personalidade cabo-verdiana que tenha produzido obra e um percurso de vida, sobretudo no âmbito literário, com mérito, e que contribuiu para o engrandecimento e notoriedade de Cabo Verde e para a ampliação das dez ilhas.
O prémio, que, além de um diploma, terá um valor monetário de 500 mil escudos (4.534 euros), o mais alto valor pecuniário de sempre atribuído em Cabo Verde.
O galardão vai ser entregue na Cidade da Praia um dia antes das celebrações de 05 de julho próximo, data em que, há 40 anos, Cabo Verde deixou de ser colónia portuguesa e se tornou um Estado.
Fonte: Lusa

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top