PUB

Sociedade

Que Deus continue a abençoar o nosso país e a nossa gente – Cardeal D. Arlindo Furtado

“Que Deus continue a abençoar o nosso país e a nossa gente” foram as primeiras palavras que o Cardeal D. Arlindo Gomes Furtado dirigiu à Inforpress, no final do Consistório Público presidido hoje pelo Papa Francisco.
Entre cânticos que espelhavam o entusiasmo dos cabo-verdianos que se deslocaram ao Vaticano para testemunharem o evento, o primeiro cabo-verdiano feito Cardeal da Igreja Católica Romana destacou o exemplo de união demonstrado pelos cabo-verdianos que se deslocaram de Cabo Verde, dos Estados Unidos e de vários países da Europa.
A pergunta de um jornalista acerca da possibilidade de um dia ser eleito Papa foi acolhida com gritos de alegria (antecipada) pelos cabo-verdianos que assistiam à entrevista colectiva mas D. Arlindo desvalorizou dizendo que a Igreja tem muita gente capaz de assumir o “ministério Petrino”, mas admite que “seja o que Deus quiser”.
Contudo explica que, “cada um, lá onde estiver, deve assumir o seu papel com alegria e com entusiasmo” porque, conforme adiantou, “na Igreja não se procura ‘status’, poder ou títulos” pelo que cada um, desde o simples baptizado ao Papa, “todos estamos lá para servir, para testemunhar Jesus Cristo e criar a fraternidade para que, de facto, ‘Deus seja tudo em todos’”.
O primeiro-ministro, José Maria Neves, que se deslocou a Roma para participar na cerimónia, disse à Inforpress que agradeceu ao Papa Francisco “pela projecção que deu país com a nomeação de D. Arlindo” e, conforme disse, o Papa considera justificada a distinção sobretudo porque Cabo Verde “é a Igreja mais antiga da África”.
“A partir de agora muita gente vai querer conhecer a Diocese de Santiago e Cabo Verde depois deste momento histórico para o país e que projecta Cabo Verde no mundo”, disse José Maria Neves admitindo que esse conhecimento que o mundo terá do país será condição suficiente para capitalizar essa projecção que a nomeação do Cardeal traz ao país.
Segundo José Maria Neves, “é bom que a Igreja Católica se reforce (no país) porque representa um ‘traço-de-união’ que faz parte da nossa identidade, da nossa história e do nosso percurso como povo” pelo que isso significará “o reforço da nação global cabo-verdiana”.
Mesmo não estabelecendo uma relação directa entre a existência da Concordata e a nomeação do Cardeal, José Maria Neves admite que as relações entre o Estado de Cabo Verde e a Santa Sé têm vindo a fortalecer.
“Sua Eminência” o Cardeal D. Arlindo Gomes Furtado, juntamente com os outros 19 novos Cardeais, concelebra eucaristia com o Papa Francisco, domingo de manhã, na Basílica de São Pedro e, à tarde, preside à missa para os cabo-verdianos radicados na cidade de Roma, na capela da Via Santa Cicilia, local de encontro semanal dos emigrantes cabo-verdianos de Roma.
Fonte: Inforpress

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top