PUB

Desporto

Desenvolvimento motor da criança cabo-verdiana é alvo de estudo ambicioso

O Ministério da Educação e Desporto, em conjugação com a FICASE e o Comité Olímpico Cabo-verdiano, promove um estudo cine-antropométrico, onde serão avaliados o crescimento das crianças, o seu desenvolvimento motor e, também, a sua maturação biológica. Charles d’ Oliveira, responsável pelo trabalho, classifica o projecto de “ambicioso”.
A investigação conta com a parceria da Faculdade do Desporto da Universidade do Porto (FADEUP), o Centro de Investigação e Desenvolvimento do Desporto e Actividade Física – Universidade Pedagógica (CIDAF-UP) de Maputo (Moçambique) e a Universidade da Madeira (uma das regiões autónomas de Portugal).
“Trata-se de um estudo ambicioso, em termos científicos, e de grande importância para diversos sectores do país, nomeadamente, os sectores da saúde, economia, de estatísticas”, revela o professor Emanuel Charles d’Oliveira (“Monaya”), coordenador do projecto. “Tem uma abrangência relevante, que também pode ser absorvida e utilizada pela comunidade académica, criando espaços de estudo para monografias para licenciaturas, teses de mestrado e doutoramentos”.
Segundo D’Oliveira, Cabo Verde ainda não tem competência técnica para, de forma autónoma, desenvolver um estudo do género, daí o recurso a cientistas de universidades de países que já têm alguma experiência nessa matéria. “Nesta primeira fase, os três académicos, vieram para encetar os primeiros contactos e constatar in loco o que é que eles podem contar, para, de seguida, montar o projecto e dar início aos estudos, dentro dos parâmetros estabelecidos”, frisou.
QUANTIFICAÇÃO
A próxima fase, de acordo com Oliveira, será de quantificação do projecto, “para vermos com quem podemos contar, ou seja formalizar essas parcerias e, depois, temporarizar as acções seguidas, que culminarão com o levantamento no terreno e subsequente tratamento dos dados e depois a publicação”.
Todo este trabalho começou num estudo que foi feito há 20 anos por Emanuel Charles d’Oliveira, que estudou as características somáticas e motoras das crianças cabo-verdianas.
Como resultado foi produzido, então, um trabalho no domínio da cine-antropometria tendo por base medições efectuadas em cinco ilhas e catorze localidades de Cabo Verde. A tese do referido mestrado foi defendida “com sucesso” em 1996, merecendo recomendações para a sua continuidade e aprofundamento.
Em 1999 o estudo foi publicado, permitindo assim que o país passasse a ter um instrumento de referência nos domínios do crescimento, desenvolvimento motor e maturação sexual numa faixa etária de relevante importância para a educação, o desporto e também para a saúde pública, economia nacional, estatísticas e outros sectores sociais.
PONTO DE PARTIDA
O trabalho que se pretende desenvolver tem como ponto de partida a reavaliação das capacidades motoras, as características somáticas e o estado maturacional. Juntos representam os parâmetros considerados no levantamento de 1993 e 1994.
“A pesquisa inicial levou-nos a cinco ilhas (Fogo, Santiago, Boavista, São Vicente e Santo Antão) e 14 localidades agrupados segundo o seu estatuto socioeconómico (urbano-rural e principal forma de produção) e condição orográfica”, explica.
Novas medições, nas mesmas localidades, com os mesmos instrumentos, depois de duas décadas, deverão poder fornecer resultados de “particular interesse”. As transformações “visíveis” no plano social e económico nos últimos anos podem ter tido “influências directas” no crescimento e desenvolvimento das crianças cabo-verdianas, daí a particularidade deste estudo.
“Se há vinte anos atrás foram avaliadas o estado de desenvolvimento e crescimento das crianças cabo-verdianas segundo o seu modo e condição de vida. A oportunidade agora criada permite a introdução de novos elementos de pesquisa como a actividade quotidiana, a alimentação, a hereditariedade, DNA e possivelmente mais. Daqui a mais 10, 20, 30 anos os dados comparáveis e mensuráveis trarão muito mais informações de teor científico”, realça.
INSTRUMENTO DE AFERIÇÃO
Segundo o coordenador do projecto, o estudo permite estimar as oscilações dos parâmetros avaliados a longo termo, o que significa passar a existir um instrumento de aferição das características somáticas e qualidades físicas das crianças cabo-verdianas.
“É igualmente uma excelente oportunidade para estabelecer comparações entre os cabo-verdianos residentes em outros países, onde a concentração da nossa comunidade emigrada é expressiva. Por outras palavras, permite-nos criar diversas pontes no tempo e no espaço entre gerações e passar a conhecer melhor o processo de crescimento e desenvolvimento do cabo-verdiano em relação à sua condição de vida e habitat”, conclui Emanuel Charles d’Oliveira.

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top