Home » Actualidades » Paulo Veiga na abertura do Atelier sobre Economia Azul: “É necessária uma mudança de atitude para a sustentabilidade do ecossistema”

Paulo Veiga na abertura do Atelier sobre Economia Azul: “É necessária uma mudança de atitude para a sustentabilidade do ecossistema”

O Secretário de Estado Adjunto para a Economia Marítima, Paulo Veiga, defendeu ontem durante a abertura de um Atelier de concertação para preparação do Quadro Estratégico Unificado para a Economia e Azul, que é necessária uma mudança de atitude para a sustentabilidade do ecossistema.

No seu discurso de abertura, Paulo Veiga abordou questões futuras “dos nossos ecossistemas” sublinhando que os “nichos de crescimento azul” estão identificados e, por isso, com os sinais que os ecossistemas “nos estão a dar” temos mesmo que “mudar o modelo económico utilizado até agora”. Um modelo que, no seu entender, tem sido o de usar os recursos sem estudar a sua sustentabilidade e sem pensar no futuro.

“Este modelo está amplamente a ser discutido a nível mundial e é consensual que esse modelo está esgotado”, disse acrescentando por outro lado que, apesar de haver um longo caminho a percorrer “é possível diminuir os desperdícios que produzimos e, destes desperdícios, tentar criar outras áreas de negócios. Sabemos que é um caminho longo de mudança de atitude para a sustentabilidade do nosso ecossistema, mas é preciso ter os recursos sustentáveis para deixar às futuras gerações em melhores condições”.

Diminuir e reaproveitar os plásticos

Paulo Veiga falou ainda sobre a problemática dos plásticos, realçando que deve ser diminuído e reaproveitado, uma vez que acrescenta, “temos o problema do plástico e os oceanos, mas como é que podemos diminuir isto? é cada um de nós diminuirmos a utilização do plástico ou minimizar a utilização do plástico e depois é desenvolver o que fazemos com o plástico que produzimos e que é deitado ao lixo”, explica.

O Atelier de concertação para preparação do Quadro Estratégico Unificado para a Economia e Azul – CaSUEB, que reuniu entidades públicas e privadas e organização da sociedade civil, irá permitir recolher subsídios para a elaboração de um conjunto de instrumentos nacionais, visando a promoção desta iniciativa, o CaSUEB.

Os objetivos do CaSUEB permitirão clarificar as questões relacionadas com os potenciais nichos de crescimento azul identificados em 2016, através dos «Nichos de crescimento azul» (Programa FAO/FMM).

PartilheTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone

Comentário

Publicidade