Home » Actualidades » Maio: Associação Pro-Morro alega falta de envolvimento e apoio da autarquia na realização da “Noite, Garoupa e Poesia”   

Maio: Associação Pro-Morro alega falta de envolvimento e apoio da autarquia na realização da “Noite, Garoupa e Poesia”   

O presidente da Associação, Agostinho Silva, faz um balanço “muito positivo” do evento, destacando a “boa adesão” do público ao certame. “O único reparo que devo fazer aqui é que a Câmara Municipal do Maio que não nos apoiou".

A Associação Pro-Morro alega falta de envolvimento e apoio da edilidade maiense na realização da “Noite, Garoupa e Poesia”, nestes últimos dois anos, um evento que já vai na sua IV edição e pede mais atenção aos promotores da cultura na ilha.

Em declarações à Inforpress, o presidente da Associação Pro-Morro, Agostinho Silva, fez um balanço “muito positivo” do evento, destacando a “boa adesão” do público ao certame.

As pessoas, prosseguiu o responsável, tiveram a possibilidade de saborear os diversos pratos confeccionados à base da goroupa, ao mesmo tempo que puderem ouvir também várias declamações de poesia, feitas tanto pelo grupo Pro-Morro, como também pelos elementos de GAStagus (Portugal), que participaram no evento.

“O único reparo que devo fazer aqui é que a Câmara Municipal do Maio que não nos apoiou. Isto aconteceu no ano passado e este ano voltou a repetir-se, por isso é uma questão de se lamentar, porque quando se quer dinamizar a economia da ilha e promover eventos que tragam mais pessoas, acho que a Câmara Municipal devia participar, sobretudo num evento turístico valorizado em vários municípios do país”, frisou.

De todo modo, Agostinho Silva garantiu que vão fazer tudo o que estiver ao alcance do grupo para levar avante esta actividade que, na sua opinião, já ganhou espaço na agenda cultural da ilha, atraindo várias pessoas, tanto locais como das outras ilhas, bem como turistas internacionais.

Por isso, aproveitou a ocasião para agradecer todos os parceiros que apoiaram a edição deste ano, mostrando a vontade de realizar este vento num espaço aberto.

Mas enquanto não houver a participação da edilidade maiense, o responsável afirmou que o evento continuará a ser realizado em recintos fechados, como até agora tem sido habito.

No entanto, mostrou-se optimista que ” mais cedo ou mais tarde” a câmara Municipal irá aderir ao projecto, porque, explicou, é um evento que dinamiza a economia da ilha”.

Referente ao intercâmbio deste ano com o grupo GAStagus de Portugal, que já vai no terceiro ano e que terminou ontem segunda-feira, Agostinho Silva disse que o mesmo já está a dar os seus frutos, visto que a comunidade do Morro, bem como as entidades parceiras já estão a sentir o efeito disso, tendo em conta que todos os anos o mesmo grupo tem dado uma “contribuição valiosa”, nos diversos sectores.

“No que tange a área de saúde, este ano percorremos praticamente todas as localidades, excepto a vila de Barreiro, porque a delegação visitante esteve na semana passada naquela urbe (…) isto demonstra o impacto que esta cooperação tem vindo a ter. Por exemplo, as pessoas que participaram na feira de saúde levaram o cartão do ano anterior, o que demonstra que estão bem informadas”, fez saber.

Aquele representante avançou ainda que esta cooperação é para continuar e que já estão a trabalhar na criação de GASMaio, que, basicamente, vai ser um grupo local, responsável para a realização de actividades do GAStagus(Portugal). 

PartilheTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone

Comentário

Publicidade