Home » Actualidades » 1ªnoite de KJF: “Seu Jorge” leva fãs ao delírio, numa noite de boa música e grandes estrelas

1ªnoite de KJF: “Seu Jorge” leva fãs ao delírio, numa noite de boa música e grandes estrelas

Hoje Seu Jorge actua em São Vicente, na Rua Lisboa, num espectáculo gratuito.

Era perto de 1h15 da madrugada quando o brasileiro Seu Jorge entrou em palco, para delírio de muitos fãs crioulos, que logo se foram chegando à frente do palco e não mais arredaram pé. A partir dali a Praça Luís de Camões que estava lotada de público de várias gerações, transformou-se numa verdadeira sala de espectáculos para cantar em uníssono, praticamente do princípio ao fim, com aquele que era o artista mais aguardado da noite.

Foi com um grande e enérgico “boa noite Cabo Verde” que Seu Jorge começou essa viagem musical por alguns dos seus grandes sucessos: Mina do Condomínio, Carolina, Amiga da Minha Mulher e Burguesinha, entre muitos outros.

Mas foi ao som acústico da sua guitarra, sozinho em palco, que protagonizou um dos momentos mais bonitos da noite. Ana Carolina, com quem partilha a música em dueto “É isso aí…” não se fez sentir ausente no palco, pois o público fez questão de cantar em alto e bom som este grande sucesso de Seu Jorge, num momento intimista único.

Seu Jorge, que horas antes do espectáculo numa conferência de imprensa havia dito aos jornalistas estar surpreso e ao mesmo tempo honrado por ter tantos fãs em Cabo Verde. A sua ligação às ilhas crioulas é antiga, pois há muitos anos Seu Jorge chegou a fazer a primeira parte de quatro espectáculos de Cesária Évora, artista que “admirava muito” e recentemente descobriu que uma das suas bisavós era cabo-verdiana.

Por isso mesmo a sua vinda a Cabo Verde pela primeira vez tornou-se ainda mais especial. Visivelmente emocionado pelo carinho do público afirmou em palco que “É muita alegria, é muita alegria estar aqui…” e deixou a sua música falar mais alto.

E de sucesso em sucesso,  o espectáculo passou depressa, e acabou perto das 2h35 da manhã, com uma espécie de batucada electrizante com Seu Jorge a apresentar o naipe de quatro músicos e um “beat box” de hip-hop que o acompanharam ao longo do show, depois foram saindo do palco, para não mais voltar. No fim, o público queria mais.

Noite de estrelas e boa música

Mas, apesar do “Seu Jorge” ter sido à partida o motivo que atraiu a maior enchente de sempre na história do Kriol Jazz Festival (KJF), a noite foi igualmente repleta de outras estrelas e sobretudo de boa música, muito boa música.

A começar pelo artista da casa Mário Lúcio Sousa que abriu o palco perto das 20h30 com a “praçinha” já bem composta para ouvi-lo apresentar o seu “Funanight”, que tem levado aos quatro cantos do mundo. Um albúm que o público mostrou já conhecer bem, entoando as letras com ele. Um trabalho que guarda a memória do funaná nos seus mais diversos estilos, até ao “cotxi pó” de hoje em dia. “Tema di minis funaná” ou “Nandinha” foram alguns dos sucessos que se fizeram ouvir. No fim Mário Lúcio agradeceu ao público “de coração” por ter vindo “partilhar” as suas músicas com ele.

Depois, seguiu-se Nathalie Natiembé, das ilhas Reunião, que tal como Seu Jorge teve em Cesária Évora o seu elo de ligação inicial a Cabo Verde. Em palco esta diva do jazz disse que desde o início da sua carreira se alimentou “espiritualmnente” de Cize e que a sua vinda à Cabo Verde pela primeira vez, só lhe faz “lembrar Cesária”. Curiosamente, Nathalie Natiembé também canta descalça, mas a sua performance sobressai pela poesia em palco, nas palavras que canta e na forma como interpreta e sente a sua música. Uma performance que levou o público a render uma ovação de pé, com muitos e demorados aplausos.

E porque a noite foi mesmo de grandes estrelas de jazz feito e influenciado por várias latitudes, cada um no seu estilo, o americano Stantley Jordan acompanhado do Thunder Duo, da Hungria voltou a levar o público do KJF ao delírio. Na guitarra ou no piano, a sua mestria continua a surpreender e faz jus ao título de ser considerado um dos maiores guitarristas dos finais do sec. XX.

No final, Stanley Jordan foi surpreendido por uma fã que levou dois discos da década de 80, de início da sua carreira para Stanley autografar. O músico ficou surpreso e até emocionado. “Não fazia ideia que tinha tantos fãs em Cabo Verde. Estou muito feliz por ter voltado. O público foi fantástico”, disse no fim do espectáculo.

Hoje, o segundo dia do KJF prossegue também com grandes estrelas. Sara Tavares, Ayo ou Kriol Band são alguns dos nomes que vão passar pelo palco esta noite.

GC

 

PartilheTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone

Comentário

Publicidade