Home » Actualidades » José Mário Branco em Cabo Verde para falar sobre o 25 de Abril

José Mário Branco em Cabo Verde para falar sobre o 25 de Abril

José Mário Branco é um dos principais nomes da música de intervenção portuguesa.

O músico português, José Mário Branco, vai estar em Cabo Verde na próxima semana para falar sobre o 25 de Abril. O compositor participa em três tertúlias em Assomada, Praia e Mindelo.

No próximo dia 25 de Abril assinalam-se 44 anos da Revolução dos Cravos, efeméride que traz o José Mário Branco a Cabo Verde. Ele que é um dos principais nomes da música de intervenção portuguesa.

O músico português vai participar em três tertúlias, sendo a primeira no dia 24 de abril em Assomada, concelho de Santa Catarina de Santiago, onde vai partilhar a sua vida dedicada aos ideais da liberdade e os seus mais 50 anos de carreira musical.

No dia 25 de abril, o cantautor vai falar no Centro Cultural Português (CCP), na cidade da Praia, numa tertúlia moderada pelo activista, sociólogo, investigador e professor universitário cabo-verdiano Redy Lima.

A outra conversa vai acontecer no CCP, polo do Mindelo, e que contará ainda com a presença de Onésimo Silveira, político, escritor, primeiro presidente eleito da Câmara Municipal de São Vicente e antigo embaixador de Cabo Verde em Portugal.

José Mário Branco vai ser homenageado no Mindelo pela sua contribuição à cultura nos últimos 50 anos, num momento em que os dois principais coros da cidade, Coro Voz d’Alma e o Coro da Escola Jorge Barbosa, vão interpretar músicas da sua autoria.

O músico, de 75 anos, é pai de João Branco, actor e encenador português que chegou em 1992 a Cabo Verde, onde fundou o Grupo de Teatro do CCP e desde 2014 é também diretor do CCP do Mindelo.

Nascido no Porto, em maio de 1942, José Mário Branco é considerado um dos mais importantes autores e renovadores da música portuguesa, em particular no período da Revolução de Abril de 1974, cujo trabalho se estende também ao cinema, ao teatro e à ação cultural.

Foi fundador do Grupo de Ação Cultural (GAC), fez parte da companhia de teatro A Comuna, fundou o Teatro do Mundo, a União Portuguesa de Artistas e Variedades e tem colaborado na produção musical para outros artistas, nomeadamente Camané, Amélia Muge, Samuel e Nathalie.

PartilheTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone

Comentário

Publicidade