Home » Actualidades » UCID estranha aumento das tarifas de água e electricidade

UCID estranha aumento das tarifas de água e electricidade

João Santos Luís diz entender que existem mecanismos para fazer baixar o custo de energia eléctrica e água no país.

A UCID diz estranhar o aumento das tarifas de água e energia eléctrica no país ao mesmo tempo que “lamenta profundamente” que o Governo até ainda não tomou e não toma as medidas de políticas necessárias para estancar e fazer baixar o custo desses bens em Cabo Verde.

Falando em conferência de imprensa realizada esta sexta-feira em Mindelo, o vice-presidente da UCID, João Santos Luís, começa por dizer que os vários governos têm ignorado as contribuições que a UCID vem disponibilizando, com o principal objectivo do país vir a ter agua e energia a um preço mais baixo.

“É nosso entender que, as justificações para o aumento tarifário de energia eléctrica e água, não são convincentes, numa altura em que o governo fala na protecção da indústria nacional, tendo iniciado a legislação para o efeito”, prossegue este líder partidário, salientando que, “Cabo Verde tem até ainda água e energia das mais caras do mundo, senão a mais cara”

João Santos Luís diz entender que existem mecanismos para fazer baixar o custo de energia eléctrica e água no país, nomeadamente, a revisão do contrato de fornecimento de energia entre a Electra e a cabeólica, a utilização de combustíveis mais barato (fuell 380, cst) nas centrais do Palmarejo e da Palmeira e a injecção de mais energias alternativas na rede pública, o que pressupõe o aumento da capacidade das centrais fotovoltaicas e eólicas.

“Torna-se urgente efectivar-se a implementação das tarifas sociais de água e energia conforme estipula o orçamento do estado de 2018 e o programa do governo desta legislatura, por forma a influenciar a redução das perdas técnicas no transporte e na distribuição, bem como as perdas comerciais de energia e agua”, continua João Santos Silva completando que, por outro lado, a UCID alertou à Electra para uma adequação da política comercial da empresa, visando a redução do roubo de energia com impacto directo nas perdas.

João Santos Luís entende ainda que, num momento em que o poder de compra dos cabo-verdianos é “muito fraco”, o aumento de tarifas de água e energia eléctrica vem agravar ainda mais o custo de vida das famílias e das empresas cabo-verdianas.

Para finalizar, a UCID exige que o Governo assuma de forma “clara e objectiva” as suas responsabilidades, “criando todas as condições necessárias para que o custo de produção e distribuição de energia e água sejam compatíveis com o nível de vida do país”.

PartilheTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone

Comentário

Publicidade