Home » Actualidades » Praia: Termina julgamento do caso alemão

Praia: Termina julgamento do caso alemão

Casal suspeito conhece sentença a 23 de Fevereiro

Os cabo-verdianos Ana Barbosa e Carlos Gonçalves conhecem a 23 de Fevereiro o veredicto pelo homicídio do alemão Karl Heinz Michael Gocht, encontrado sepultado a 22 de Abril do ano passado, em Ribeirão Chiqueiro, São Domingos. O julgamento dois terminou no passado dia 23 de Janeiro.

Depois de ter sido adiado, o julgamento de Ana e Carlos foi realizado nos passados dias 22 e 23 deste mês de Janeiro. A dupla é acusada de assassinar brutalmente o ex-marido de Ana Barbosa. Ambos, que permanecem em prisão preventiva, conhecem neste mês de Fevereiro a decisão do juiz do terceiro juízo crime do Tribunal da Praia. No julgamento, pelo que A NAÇÃO conseguiu saber, Ana Barbosa alegou inocência.

Karl Heinz Michael Gocht, conhecido por “Miguel”, 59 anos, natural da Alemanha e residente na Cidadela, terá sido assassinado, à paulada, pela ex-mulher, Ana Barbosa, com quem estava em processo de separação e partilha dos bens, e pelo suposto namorado desta, Carlos Gonçalves. Ambos foram denunciados por familiares de Ana e foram, de imediato, detidos pela Polícia Judiciária.

As autoridades foram alertadas quando um jovem, que se encontrava à procura dos seus animais, descobriu a macabra situação. Esse mesmo jovem alertou, de imediato, o guarda de uma pedreira que fica nas proximidades do local, que, por sua vez, informou a Polícia Nacional. A remoção do cadáver levou mais de duas horas, uma vez que os bombeiros de São Domingos tiveram que escavar com muito cuidado, a fim de evitar outros ferimentos, pois o corpo seria remetido aos exames dos peritos da Medicina Legal e PJ.

Sabe-se ainda que um guarda viu, por volta das 23 horas, de sexta, 21, para sábado, 22, o farol de um carro aceso no local onde foi encontrado o corpo e, conforme dados apurados, as marcas das rodas no terreno denotam ser de um Jeep.

A Polícia científica revelou que, na sequência de diligências efectuadas, localizaram o local do crime como sendo a residência da própria vítima, que foi “devidamente inspecionada”, tendo os supostos autores materiais do crime sido apresentados ao tribunal, para o primeiro interrogatório judicial e aplicação de medidas de coação.

GSF

PartilheTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone

Comentário

Publicidade