Home » Actualidades » Governo reforça em mais 50 mil contos a linha de crédito para mitigação do mau ano agrícola

Governo reforça em mais 50 mil contos a linha de crédito para mitigação do mau ano agrícola

O reforço é de mais 50 mil contos e visa chegar a um maior numero possível de agricultores e criadores de gado.

O Conselho de Ministros aprovou de entre outros diplomas, a Resolução que reforça a linha de crédito para financiamento das atividades agropecuária criada pela Resolução nº125/2017 de 14 de novembro.

Conforme lembrou o Ministro de Estado e da Presidência do Conselho de Ministros, Fernando Elísio Freire, o Governo havia decidido em novembro último, criar uma linha de crédito para fazer face ao mau ano agrícola, essencialmente destinada à agricultura, à pecuária e à rega gota-a-gota.

Entretanto, prosseguiu o governante, “passado alguns meses o crédito está-se a mostrar insuficiente, tendo em conta o nível da demanda”. Assim, o Governo decidiu reforçar a linha de crédito também pelo nível de sucesso do programa, demonstrando que a mesma estava a ter um bom uso, de acordo com Elísio Freire.

“O reforço de mais 50 mil contos insere-se nos 100 mil contos que tem no Orçamento do Estado, independentemente dos valores já mobilizados pelo Estado de Cabo Verde e que ascendem a mais de oito milhões de Euros”, explicou o Ministro, que adiantou até este momento das 50 mil iniciais colocados à disposição das instituições de microfinanças que estão a gerir o processo já foram concedidos 47 mil contos no setor da agropecuária.

Em jeito de balanço do Programa de mitigação do mau ano agrícola, o porta-voz do Conselho de Ministros avançou que, está a correr como o planeado com bom nível de execução, sendo que do total da verba destinada ao Plano de emergência (mais de 800 mil contos), já foram investidos cerca de 204 mil contos.

Fernando Elísio Freire apontou que até agora já foram criados cerca de 1400 postos de trabalho, à exceção dos 580 postos de trabalho no Concelho de S. Miguel, perfazendo um total de 2.000 empregados e sem contar que esse número não abrange, ainda, dados de outras regiões do país.

 

PartilheTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone

Comentário

Publicidade