Home » Opinião » MANIFESTO EDITORIAL

MANIFESTO EDITORIAL

(Re)publicamos, em baixo, a íntegra do nosso Manifesto Editorial, em cumprimento ao estipulado na Lei nº 70/VII/2010, que altera o diploma nº 56/V/98, da Lei da Comunicação Social, especificamente, no seu Artº 30º (Estatuto Editorial), pontos 1, 2, 3 e 4:

 

  • A NAÇÃO é um periódico independente, generalista, que cultiva a ética, investiga, problematiza os acontecimentos, pensa, reflecte e apresenta o país real e profundo, constituído pelo arquipélago e pelas diásporas espalhadas por esta aldeia global;
  • A NAÇÃO defende os direitos do consumidor, o desenvolvimento sustentado e equilibrado do país, a preservação e a conservação do Ambiente, o bem-estar e a melhoria da qualidade de vida dos cidadãos;
  • A NAÇÃO é um mediador ao serviço da sociedade, que reflecte a realidade e o pluralismo social, político, cultural, económico, existentes em Cabo Verde;
  • A NAÇÃO é independente dos poderes políticos, dos grupos económicos, das organizações confessionais e sindicais, entre outros;
  • A NAÇÃO promove a cidadania activa, o diálogo inter-geracional e o respeito pelos direitos humanos, e cultiva os valores da justiça, do pluralismo, da democracia, e da igualdade e equidade de género;
  • A NAÇÃO fomenta a info-inclusão, encoraja a inovação e divulga as tecnologias de informação e de comunicação, rumo à construção da sociedade do conhecimento e de informação;
  • A NAÇÃO valoriza os quês e os porquês, a motivação e as consequências dos acontecimentos, em ordem a facilitar a compreensão aos leitores  e a contribuir para a formação e a cimentação de uma massa crítica participante e activa;
  • A NAÇÃO denuncia e condena todas as formas de preconceito, bairrismo e discriminação, em virtude de condição social e/ou física, crença religiosa, convicção filosófica, cultural, étnica, racial, ou outras, contrapondo com os salutares valores e princípios da tolerância, solidariedade, verdade, e respeito pelos legítimos direitos individuais e colectivos;
  • A NAÇÃO fixa o contraditório como a sua regra de ouro, cultiva o rigor e recusa todas as formas e modos de sensacionalismo;
  • A NAÇÃO cultiva e defende o direito à honra, ao bom nome e à privacidade dos cidadãos, a par da protecção da infância e da adolescência, no marco do estabelecido na Constituição da República de Cabo Verde e das leis que regem a Comunicação  Social; e
  • A NAÇÃO rejeita todas as formas de censura e da auto-censura, cumpre e exige o cumprimento das normas éticas e deontológicas dos jornalistas, das leis da República e do consagrado no seu Manual de Redacção.

 

Cidadela e Sede do Jornal A NAÇÃO (na Cidade da Praia), aos 04 dias do mês de Janeiro do ano de 2018.

A Direcção

 

PartilheTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone

Comentário

Publicidade