Home » Actualidades » São Domingos: Centro Interpretativo de Alcatraz nasce em 2018 – edilidade

São Domingos: Centro Interpretativo de Alcatraz nasce em 2018 – edilidade

O presidente da Câmara Municipal de São Domingos, Clemente Garcia, anunciou hoje, o início, em 2018, das obras de requalificação da localidade de Alcatraz e da edificação do Centro Interpretativo desta zona.

A informação foi dada à Inforpress, na sequência de uma visita efectuada esta sexta-feira pelo presidente do Instituto do Património Cultural, Hamilton Jair Fernandes, às ruínas da Igreja de Nossa Senhora da Luz, na capitania de Alcatraz, no município de São Domingos.

Durante esta visita, o presidente do IPC esteve acompanhado do edil Clemente Garcia, do pároco local, Alexandre Lopes, do coordenador da Direcção de Monumentos e Sítios, Jaylson Monteiro, e do arquitecto Daniel Oliveira.

Esta visita acontece na sequência de um encontro realizado, recentemente, entre a autarquia e o IPC e enquadra-se no plano de inventariação de todo o património imóvel nacional, bem como na requalificação de alguns bens, previstos no quadro do orçamento de 2018.

Segundo o autarca, depois desta visita ficou o compromisso de uma parceria tripartida – Câmara, IPC e Paróquia – no sentido de dar continuidade ao restauro de uma das mais antigas igrejas do país, a Igreja Nossa Senhora da Luz.

Na ocasião, Clemente Garcia apresentou dois “projectos ambiciosos”, que vão ser executados em 2018: a requalificação de Alcatraz e a edificação do Centro Interpretativo de Alcatraz.

“Temos dois projectos ambiciosos, que consistem em requalificar toda a zona circundante de Alcatraz e edificar um centro interpretativo, como forma de preservar o património histórico dessa zona. Já temos o projecto de requalificação pronto, orçado em 50 mil contos, e o centro ainda não temos o projecto completo”, disse.

Por sua vez, o presidente do IPC, Hamilton Jair Fernandes, considerou esses projectos paralelos da autarquia uma “mais-valia” não só para os nacionais e os locais que moram ao pé do edifício, para conhecerem a história e a importância patrimonial do edifício, mas, sobretudo para os turistas.

Este centro, informou Jair Fernandes, vai servir para dar informações para a interpretação de todo esse legado patrimonial.

No que concerne a visita à igreja Nossa Senhora da Luz, disse que o objectivo era constatar “in loco” o estado deste edifício construído aquando do povoamento da ilha de Santiago.

A Igreja Nossa Senhora da Luz sofreu a última intervenção em 2011, orçada em 10 mil contos, e foi executada pela Universidade de Cambridge (Reino Unido) em parceria com o IPC.

No final desta visita, ficou acordado um encontro a nível técnico, em que a edilidade irá disponibilizar um engenheiro para acompanhar o arquitecto do IPC e os técnicos do Património na elaboração do orçamento, em função do projecto existente.

“Em relação às intervenções (…) vai-se fazer toda a remoção do reboco, tentar adequar o máximo possível o edifício existente que data do século XVI e também ficou acordado que a Paróquia vai remover o anexo adicionado nos finais da década de 80, permitindo uma maior visibilidade do edifício”, disse Jair Fernandes.

Coube ainda ao IPC mobilizar junto dos parceiros o montante que falta para a conclusão do projecto, cujos 30 por cento das intervenções previstas já foram concluídos.

Conforme disse, em 2018 vão finalizar o orçamento e ter toda a operação de mobilização de meios financeiros para o efeito, para que antes do mês de Setembro, altura da festa em honra de Nossa senhora da Luz, possam ter o projecto finalizado e entregue à comunidade.

PartilheTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone

Comentário

Publicidade