Home » Actualidades » Empresa de hortícolas orgânicos no Sal perspectiva gerar 3.600 postos de trabalho

Empresa de hortícolas orgânicos no Sal perspectiva gerar 3.600 postos de trabalho

O projecto prevê a exportação de cerca de 150 mil toneladas de tomate por ano, no valor aproximado de 300 milhões de euros.

Vai ser criada na ilha do Sal uma empresa destinada ao cultivo e exportação de tomates orgânicos e outros vegetais. A informação é avançada pelo Governo de Cabo Verde, que refere ainda que a Convenção de Estabelecimento com a empresa FOISal (do Grupo Trasacco)  vai ser assinada na tarde desta segunda-feira,11, na capital, e vai permitir a concessão de uma parcela de terreno situada no norte da ilha do Sal, para a referida exploração.

O investimento, orçado em 140 milhões de euros, prevê a criação de 3.600 empregos, incluindo, segundo o Governo, “habitação para a maioria deles”.

O projecto perspectiva exportar cerca de 150 mil toneladas de tomate por ano, no valor aproximado de 300 milhões de euros.

De acordo com a mesma fonte, este investimento da FOISal irá contribuir para a diversificação da economia no Sal e em Cabo Verde e ao mesmo tempo fomentar os transportes marítimos, de e para o Sal, com maior equilíbrio entre importações e exportações do país.

Segundo os promotores, este projeto vai de encontro à “estratégia de expansão” do Grupo Trasacco, tendo ainda em conta outros locais de produção dentro da CEDEAO.

Já a escolha pela ilha do Sal deveu-se à “estabilidade política, no estado de direito democrático” mas também ao “ambiente de negócios”, e às boas condições para a produção.  Ou seja, “ausência de contaminação agrícola”, assim como um “clima seco, com apenas alguns dias de precipitação, nas temperaturas regulares ao longo do ano”, o que vai permitir ciclos de produção anual sem necessidade de estufas.

A existência de infra-estruturas portuárias, a proximidade do mercado europeu e a existência de um mercado de trabalho “disciplinado”, foram outros dos factores a ter em conta na escolha da ilha do Sal para sediar este ambicioso projecto. Para já não se sabe ainda quando é que entrará efectivamente em funcionamento.

GC

PartilheTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone

Comentário

Publicidade